Deputado confirma campanha por vaga e cita "experiência" na AL

O deputado Sebastião Rezende, que já está em articulação.
FOTO: ALAIR RIBEIRO 
O deputado estadual Sebastião Rezende (PSC) – postulante declarado à cadeira de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado – confirmou que tem se articulado para conseguir apoio dos colegas parlamentares.

A vaga, que pertence à Assembleia Legislativa, estava sub judice desde 2014 e foi "destravada" pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), no último dia 31 de janeiro. 

“Eu já comecei a fazer essa conversa. Não tem como ser candidato de si mesmo. Então, já tenho conversado com alguns deputados nesse sentido. E obviamente, em efetivando essa minha participação, eu espero o maior número de apoio possível”, disse o deputado a Rádio Capital FM, na manhã desta sexta-feira (8).

Iniciando o quinto mandato como parlamentar estadual, Rezende diz que se sente preparado para pleitear a vaga.

“Eu acredito que em face a essa experiência adquirida como deputado estadual, essa vivência que nós temos na área orçamentária, sempre lidando e atuando na área do Estado e presente em comissões. Eu tive a oportunidade de, por três ou quatro vezes, presidir a Comissão de Constituição e Justiça. Então, ao longo desse período tenho amealhado experiências”, afirmou o deputado, que é formado em Engenharia Civil e Direito.

Concorrentes

Como postulante, já se manifestou o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB). Ele é apontado com alguma vantagem na “corrida” pela cadeira, já que vem se articulando à vaga desde a saída do ex-conselheiro Humberto Bosaipo, em 2014.

Ao ser perguntado se Maluf seria um dos seus principais concorrentes, Rezende desconversou.

“O que a gente ouve por parte da imprensa dos nomes que estão surgindo. Eu entendo que todas as pessoas que se habilitarem estão fazendo porque têm respaldo. Porque quem vota são os deputados estaduais”, disse.

A vaga

Um projeto de resolução para definir o rito para a escolha do novo conselheiro do TCE deverá ser votado nos próximos dias. 

O texto definirá os termos para as indicações e análises dos candidatos, que precisam ter “reputação ilibada” e “notório saber jurídico”.

Entre salário e benefícios, a remuneração mensal de um conselheiro do Tribunal de Contas do Estado pode chegar a R$ 60 mil.

FONTE: MIDIANEWS
Tecnologia do Blogger.