Economista elogia medidas de Mauro: "não veio ser Miss Simpatia"

FOTO: REPRODUÇÃO
O governador Mauro Mendes participou do seminário “Ajuste fiscal ou Desgoverno” no Tribunal de Contas do Estado, nesta quinta-feira (25.04). De acordo com o governador, se o Estado não alinhar um ajuste fiscal, com uma receita no mínimo igual a despesa, “começa a gerar desgoverno”.

“Quando você gasta mais do que você arrecada, não importa se é no governo estadual ou federal, ou se é na nossa casa: você vai desequilibrar. Se você faz opções erradas, daqui a pouco começa a faltar dinheiro. E foi assim que aconteceu em Mato Grosso, com opções erradas e decisões equivocadas”, disse. 

O reflexo disso, segundo explicou o governador, é diretamente sentido pelo cidadão, com o sucateamento dos serviços públicos. Ou seja, com a falta de medicamentos, atendimento médico, combustível para abastecer viaturas, mais de cinco mil km de estradas precárias, entre tantas outras coisas. “Precisamos construir o equilíbrio. A despesa precisa ser menor do que a receita. Caso contrário, seremos todos afetados com isso. Não teremos ambulâncias e nem dinheiro para investir na segurança. Isso mexe com a vida de todos nós. Equilibrar as finanças de Mato Grosso é um desafio gigante, mas é possível e eu acredito nisso”, ressaltou.

Durante o evento, o governador destacou as medidas já adotadas na busca pelo equilíbrio fiscal, como a não correção salarial, a não realização de concursos públicos e a análise dos incentivos fiscais. Na ocasião, o ex-governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, considerado um dos melhores do país, demonstrou que o Estado de Mato Grosso está no rumo certo, ao ter tomado medidas consideradas impopulares, mas que serão eficientes a médio prazo para o equilíbrio fiscal e retomada de investimentos.

“O governador não se candidatou para Miss Simpatia. Se tivesse se candidato, não teria aprovado as medidas”, disse ele, acrescentando que as medidas adotadas são importantes para a reorganização do Estado.

Ainda segundo Hartung, o que um governante precisa é sair do caminho fácil, que é a demagogia, e partir para a firmeza. “O gestor que assim age lá na frente ele será compreendido”, ressaltou.

O evento também contou com a palestra do secretário de Fazenda, Rogério Gallo. Em sua fala, ele destacou a Lei de Responsabilidade Fiscal do Estado, que foi aprovada em janeiro pela Assembleia Legislativa, medida que irá auxiliar e muito na condução do Estado até o equilíbrio fiscal.

FONTE: FOLHAMAX

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.