FOTO: Lucas Torres
Os tombamentos são o segundo tipo de acidente mais recorrente entre os veículos de carga que trafegam o trecho sob concessão da BR-163, em Mato Grosso, ficando atrás somente das colisões traseiras.

De acordo com a concessionária Rota do Oeste, de janeiro a abril deste ano foram registrados 102 tombamentos envolvendo caminhões e carretas, 4% a menos que o atendido no mesmo período de 2018.

O levantamento demonstra ainda que o número de ocorrências no trecho já duplicado, de Itiquira a Cuiabá, é idêntico à quantidade de casos registrados na região norte, de Cuiabá a Sinop: 50 ocorrências em cada um. A Rodovia dos Imigrantes (BR-070) somou dois casos. 

Causas dos acidentes

Conforme a concessionária, a falta de atenção, o excesso de velocidade, o uso de telefone celular e a carga mal acondicionada são apontados como principais causas para os registros.

O chefe da 6ª Delegacia da Superintendência Regional da Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso, inspetor Leonardo Ramos, relata que independentemente do tipo e das condições da via, as más práticas na direção de veículos são constantemente observadas nas rodovias brasileiras. A postura resulta em comprometimento da segurança, em especial na BR-163, pela condição de trânsito majoritariamente formado por veículos de carga.

“A observação de regras básicas do Código de Trânsito Brasileiro pode significar a prevenção da maioria dos tombamentos de veículos de carga, a prevenção de prejuízos materiais e pessoais aos motoristas e terceiros”, alertou o inspetor.

Ramos aponta que, entre as condutas responsáveis por grande parte dos acidentes envolvendo caminhões na BR-163, está a negligência quanto à distância de segurança entre os veículos.

“Ao dirigir excessivamente próximo ao veículo da frente, o condutor perde visibilidade dos eventuais perigos ou obstáculos à frente, inviabiliza a ultrapassagem dos veículos menores e mais rápidos e a pior consequência: perde tempo para responder a alguma adversidade, tais como um frenagem inadvertida do veículo que segue à frente, um defeito na via ou uma parada repentina do fluxo”, explicou.

Outro grande vilão do trânsito, que termina resultando em tombamentos de veículos de carga é o telefone celular. “É muito comum que os tombamentos sejam registrados em locais onde há o sinal das operadoras de telefones móveis. A combinação de direção de veículos de carga com telefone celular é perigosa em rodovias”, afirmou Ramos.

Por fim, o inspetor pontua que o mal acondicionamento de carga, principalmente a de algodão, também contribui para os tombamentos, uma vez que causa a instabilidade do veículo e compromete a segurança.

FONTE: MIDIANEWS
Postagem Anterior Próxima Postagem