Diego acertou 69% dos pênaltis no Flamengo, mas ficou marcado por erros em momentos decisivos

CELSO PUPO/ESTADÃO CONTEÚDO
O Flamengo venceu a Chapecoense por 2 a 1 na manhã do último domingo, no Maracanã, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, parte da torcida não perdoou o pênalti perdido por Diego e o vaiou no momento de sua substituição.

O aproveitamento do camisa 10 durante sua passagem pelo Flamengo é o seguinte: em 13 cobranças, converteu nove e perdeu quatro, com 69,2% de acerto.

Pesa contra o meia o fato de ter perdido suas últimas duas cobranças, contra Chapecoense e Bangu no Carioca. A primeira e única vez em que havia desperdiçado penalidades com a camisa rubro-negra foi em 2017.

Perdeu no empate por 2 a 2 com o Palmeiras na extinta Ilha do Urubu, em confronto direto pelo topo do Campeonato Brasileiro;

Na decisão por pênaltis da final Copa do Brasil, diante do Cruzeiro no Mineirão, quando o Flamengo perdeu o título por 5 a 3 nos pênaltis.

Porém, verdade seja dita, Diego não errou em todos os momentos de decisão. Converteu a cobrança do gol da vitória sobre o Vasco por 1 a 0, na semifinal em jogo único da Taça Guanabara de 2017. E na final daquele turno, na disputa por pênaltis, abriu a série rubro-negra colocando o Flamengo em vantagem, mas o clube acabou perdendo para o Fluminense.

Nos 13 pênaltis pelo Fla, camisa 10 mostrou repertório e cobrou de diferentes formas, lados e altura. Mas as que mais se repetiram foram as no canto direito baixo do goleiro e no meio do gol, com cinco cobranças de cada maneira.

E não é só Diego que perdeu pênalti esse ano pelo Flamengo. Rodinei, na disputa contra o Ajax, da Holanda, na Flórida Cup, também errou a sua cobrança. O clube ainda não encontrou um substituto ideal para cobrador oficial após a saída de Henrique Dourado. O centroavante cobrou seis penalidades pelo Rubro-Negro e converteu todas.

FONTE: GLOBO ESPORTE
Tecnologia do Blogger.