FOTO: PJC
Cinco  mandados de busca e apreensão são cumpridos na manhã desta quinta-feira (13), pela Polícia Civil, na Operação Ouro Negro, deflagrada pela em  investigações da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), que apuram fraudes no abastecimentos da frota de veículos da Prefeitura de Poconé (104 km ao Sul).

Quatro buscas são realizadas na Prefeitura de Poconé (104 km ao Sul), e um mandado na cidade de Uberlândia (MG), em uma empresa.

A ação, inserida no inquérito policial 098/2018, apura fraude praticada entre os anos de 2017 e 2018,  no sistema de gerenciamento de abastecimento da frota municipal, com inserção de dados falsos, por meio de registros de abastecimentos fictícios dos veículos (não efetivamente realizados), em total desconformidade com a média de consumo (km rodado).

A investigação aponta que os veículos apresentavam quantidade superior à capacidade do tanque de combustível e até mesmo com combustível diferente do utilizado pelos carros oficiais.

Conforme o delegado da Defaz, Sylvio do Vale Ferreira Junior, a fraude tem a participação de funcionários públicos municipais, do proprietário e dos funcionários do posto de combustível credenciado e da empresa Trivale, responsável por gerenciar os abastecimentos da frota municipal de Poconé.

A operação busca apreender documentos e computadores que possam comprovar indícios de crimes contra a administração pública, peculato e organização criminosa contra a Prefeitura de Poconé.

Nota de esclarecimento – Operação "Ouro Negro"

Com relação à operação denominada "Ouro Negro", deflagrada pela Polícia Civil nesta quinta-feira (13) sobre supostas irregularidades no abastecimentos da frota de veículos da Prefeitura de Poconé (MT), a ValeCard, empresa prestadora de serviços na área de meios de pagamentos, benefícios e gestão de frotas, esclarece que não tem ingerência sobre os beneficiários e valores creditados nos cartões, função esta que fica a cargo da empresa ou órgão público contratante. A ValeCard informa ainda que, embora funcione no formato de auto-gestão, o seu sistema de pagamentos conta com uma série de mecanismos que visam coibir fraudes.

No caso em questão, a ValeCard prestou serviços à Prefeitura mato-grossense no período de 12 de junho de 2017 a 12 de junho de 2018. Atualmente, o referido contrato encontra-se bloqueado devido ao fim do período de vigência, e não há nenhum outro contrato ativo com a Prefeitura de Poconé.

A ValeCard está colaborando com as autoridades e fornecendo todas as informações e documentos solicitados.

Por fim, a empresa coloca-se à disposição para eventuais esclarecimentos.

ValeCard.

FONTE: REPÓRTER MT
Postagem Anterior Próxima Postagem