REPRODUÇÃO
Quatro dias após a paralisação geral, que deixou usuários do transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande totalmente sem ônibus, durante toda a manhã de segunda-feira (10), os motoristas de ônibus irão paralisar novamente o serviço na sexta-feira (14), em apoio à greve geral, comandada pelas centrais sindicais.

Conforme o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários da Baixada Cuiabana (Sintrobac), em Cuiabá e Várzea Grande cerca de mil motoristas vão cruzar os braços, o que vai afetar diretamente o trabalhador que precisa do sistema público.

A paralisação foi definida em assembleia geral na sexta-feira (07).

A greve geral ocorre em todo o país como protesto à reforma da previdência, que na visão dos sindicalistas traz mudanças que dificultarão ao trabalhador o acesso à aposentadoria. 

Em Cuiabá, a concentração do movimento grevista no dia 14 está programada para acontecer na praça Ipiranga.

Na segunda-feira (10), os motoristas paralisaram o transporte coletivo sem qualquer aviso prévio e sem manter o mínimo de atendimento de 30%, o que é considerado ilegal. Eles alegavam atraso salarial.

A justificativa inicial da Associação Mato-grossense dos Transportadores Urbanos (MTU) foi a ‘desorganização’ financeira nas empresas pelas constantes alterações no valor da tarifa do transporte.

A Prefeitura de Cuiabá emitiu nota de repúdio contra a paralisação de 100% da frota dos ônibus. O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) disse estranhar a situação ocorrer logo após o lançamento do edital de licitação do transporte coletivo, procedimento que não era realizado há 17 anos e avisou que a se a situação não fosse solucionada ainda nesta segunda-feira, ele iria tomar providências junto à Justiça.

Emanuel classificou a situação como falta de respeito com a população e determinou que o secretário Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo, se reunisse com representantes do sindicato dos motoristas e das empresas para buscar uma solução para o retorno do transporte coletivo imediatamente.

Os motoristas voltaram ao trabalho após reunião em que os empresários se comprometeram a pagar os salários na quarta-feira (12). 

FONTE: REPÓRTER MT
Postagem Anterior Próxima Postagem