REPRODUÇÃO
O presidente da Assembleia Legislativa Eduardo Botelho comunicou oficialmente seu partido, o Democratas, de que não irá disputar a Prefeitura de Várzea Grande ou Cuiabá, no próximo ano, como se especulava nos bastidores desde o início de 2019. A desistência aumenta os boatos de que o deputado se prepara para disputar a vaga do conselheiro afastado Valdir Teis, do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A informação de que Botelho não irá mais concorrer ao Executivo foi confirmada pelo secretário-geral do DEM, o ex-governador Júlio Campos.

“O Botelho já nos comunicou oficialmente que não tem possibilidade e nem pretensão de disputar nem Várzea Grande, que é a terra dele e gostaríamos de ser candidato único, nem Cuiabá onde é muito bem visto como político”, revelou.

Ao ser questionado se o destino do presidente da Assembleia será o cargo de conselheiro, Júlio apenas respondeu: “Poder ser. [...] O Botelho é um enigma. Um bom articulador, mas não abre muito a boca”.

Em abril, o deputado pegou 60 dias de lincença do cargo legislativo para fazer uma 'leitura' do cenário político sobre a sua possível candidatura à Prefeitura de Cuiabá ou de Várzea Grande, durante as eleições de 2020.

Mas ao retornar ao comando da Assembleia, ele disse que o período não foi suficiente para decidir sobre seu futuro político.

À época, o parlamentar destacou que a decisão precisava ser tomada com calma e deveria ser discutida para valer apenas no ano que vem. No entanto, decidiu antecipar o anúncio ao partido.

Em um discurso no mês passado, Janaina brincou que Botelho precisava conseguir a vaga de conselheiro porque durante seu período como presidente interina “roubou” pelo menos metade dos votos do democrata e arrancou gargalhadas.

Até o momento, Botelho não fala publicamente sobre o assunto.

FONTE: REPÓRTER MT
Postagem Anterior Próxima Postagem