Dos oito deputados federais, apenas petista votou contra nova Previdência

REPRODUÇÃO
Dos oito deputados federais de Mato Grosso, sete votaram a favor da Reforma da Previdência proposta pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). O texto principal do projeto foi aprovado, em primeiro turno, na Câmara Federal na noite desta quarta-feira (10) pelo placar de 379 votos a 131, bem acima dos 308 votos (3/5 dos deputados) necessários.

Como já era esperado, apenas a deputada petista Rosa Neide Sandes foi contra a mudança na previdência, assim como entendimento do seu partido.

Os deputados José Medeiros (Podemos), Dr. Leonardo (Solidariedade), Nelson Barbudo (PSL), Emanuelzinho (PTB), Carlos Bezerra (MDB), Neri Geller (PP) e Juarez Costa (MDB) foram favoráveis.

O texto aprovado prevê uma economia de R$ 987 bilhões em dez anos. Esse número, porém, deve cair ao longo da votação dos destaques. A equipe econômica irá divulgar a estimativa final de economia com a reforma da Previdência depois que a Câmara concluir a votação da proposta.

A expectativa é que a sessão desta quarta-feira avance pela madrugada.

Como se trata de uma mudança na Constituição será preciso ainda uma nova sessão na Câmara, além da votação em mais dois turnos no Senado antes de ser promulgada e entrar em vigor. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pretende concluir a análise da proposta até sexta-feira (12). Em seguida, o texto irá para o Senado.

A reforma vai alterar as regras para o trabalhador requerer aposentadoria, como a exigência de uma idade mínima - condição hoje inexistente. Mas haverá modelos de transição para quem já está no mercado de trabalho.

São impostas também mudanças no cálculo dos benefícios, que vai contabilizar a média de todas as contribuições e exigir mais tempo na ativa para um valor maior na aposentadoria.

E serão criadas alíquotas progressivas  de contribuição previdenciária.

Também vai mudar o valor da pensão para quem tem direito a esse benefício. Confira, abaixo, as principais mudanças que vão afetar os brasileiros:

Idade mínima de 65 anos para homens, 62 para mulheres.

O Brasil é um dos poucos países do mundo que ainda não fixaram uma idade mínima para se aposentar. A reforma da Previdência prevê que, a partir de agora, os trabalhadores só poderão se aposentar aos 65 anos, no caso dos homens, e 62 anos, no caso das mulheres.

Exigência de contribuição

Além disso, a aposentadoria virá após um tempo mínimo de contribuições previdenciárias: para as mulheres, o mínimo será de 30 anos; os homens terão de comprovar 35 anos de contribuição. 

(Com informações do  O Globo)

FONTE: REPÓRTER MT
Tecnologia do Blogger.