Polícia Civil prende executor de latrocínio de servidora municipal em VG

REPRODUÇÃO
Em investigações contínuas, a Polícia Civil prendeu um dos executores da morte da servidora municipal de Várzea Grande, Sandra Regina de Siqueira Travaina, 48 anos, ocorrido na madrugada de terça-feira (02.07), no bairro Nova Várzea Grande. O autor do latrocínio é André Luiz Gomes, 20 anos, conhecido por “neguinho”, que foi preso em Cáceres (225 km a Oeste), na noite de quarta-feira (03), pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG). 

Outros dois comparsas, Jordão Rodrigues Neto, e Maikon Douglas Alves dos Santos (Sujeirinha) estão foragidos. Maikon tem quatro registros criminais por roubos e furtos. Em novembro de 2018, foi preso por arrombamento de caixa eletrônico, na cidade de Pedra Preta. Já Jordão Rodrigues Neto, tem condenação por tráfico de drogas, e está em liberdade com uso de tornozeleira, mas os policiais levantaram que ele desliga o aparelho no ato dos crimes cometidos.

LEIA TAMBÉM

Ontem,  os policiais da Derf identificaram que André Luiz Gomes tinha fugido para Cáceres. A confirmação se deu com apoio do Núcleo de Inteligência  de Primavera do Leste e assessoramento da Diretoria de Inteligência. Assim, os investigadores se deslocaram para Cáceres e o prenderam em flagrante.

O preso está na sede da Delegacia de Roubos e Furtos de Várzea Grande e lá durante interrogatório com a delegada Elaine Fernandes Silva, confessou que atirou na servidora, após se assustar por ela ter buzinado, ao ser abordada no veículo chegando em sua residência.

No interrogatório, André afirmou que Maikon Douglas planejou e coordenou o assalto. Segundo o preso, o grupo tinha informações de que na casa da servidora havia dinheiro e joias. Ele afirmou que a intenção era apenas roubar e somente atirou porque ela buzinou alertando o marido que estava dentro do imóvel.

LEIA TAMBÉM

A Polícia Civil também apurou que o grupo sabia da rotina da família e ficou aguardando a oportunidade de enquadrar as vítimas, dentro de uma casa desocupada, que fica em frente a residência da vítima. Primeiro, eles iam abordar o marido da vítima, mas havia um motociclista na rua e não quiseram despertar atenção. Então decidiram aguardar a mulher, que naquele dia demorou muito chegar a casa.

Familiares contaram que a servidora tinha o hábito de buzinar ao se aproximar de casa, como forma de avisar a todos de sua chegada. No dia do crime, por volta das 21h, ela se aproximou com o carro, e o suspeito colocou a arma no vidro ordenando que descesse do veículo, mas a motorista se assustou e buzinou alto, fazendo com que ele se assustasse e atirasse uma única vez.

Após, o trio saiu correndo a pé até um matagal. Andre Luiz aparece em imagens usando uma camiseta vermelha e nitidamente percebe-se que ele manca, em razão de um tiro que sofreu durante uma situação em 2012.

Informações para prisão dos foragidos podem ser repassadas pelo 197 da Polícia Civil. “As diligências continuam com pedido de apoio da sociedade pelo 197 para prender os foragidos”, orienta a delegada Elaine Fernandes.

A delegada titular também teceu agradecimentos aos investigadores da unidade policial, pelo empenho na identificação e prisão do suspeito “Desde a data do crime não cessaram as diligências, e, somente devido a esse comprometido foi possível obter o êxito na elucidação e prisão do autor”, afirmou.

Os criminosos serão responsabilizados por latrocínio (roubo seguido de morte).

DA REDAÇÃO
Tecnologia do Blogger.