Influencer Dom Wagner quer virar político e diz: 'Meu dinheiro vem do céu'

Influencer de Poconé afirma que dinheiro "vem do céu". REPRODUÇÃO
O influencer poconeano Wagner Wilton do Carmo, popularmente conhecido como Dom Wagner ganhou milhares de seguidores na última semana, após ter um mandado de busca e apreensão cumprido em sua casa, de onde foi levado um revólver calibre 38.

Com o aumento da popularidade, o influencer afirmou ao RepórterMT que deve atender a pedidos e entrar para a política, se candidatando a um cargo público em Poconé (105 km de Cuiabá), nas próximas eleições, que ocorrem em 2020 para escolha de vereador e prefeito.

Dom Wagner, tem como marca registrada os bordões “Desculpa aí” e “Passar bens, bebê”.
“Vou atender a vontade do povo. Se eles estão pedindo, vou atender. Eu ainda não sei nem o que vou fazer [na política], mas eu garanto que serão só coisas boas”, disse.
Segundo ele, vários amigos envolvidos na política fizeram a proposta para que ele se candidatasse nas próximas eleições. Nas redes sociais, internautas também cogitaram a possibilidade.

“Vou atender a vontade do povo. Se eles estão pedindo, vou atender. Eu ainda não sei nem o que vou fazer [na política], mas eu garanto que serão só coisas boas”, disse ao RepórterMT.

Ainda em fase inicial, a possível candidatura a um cargo político está engatinhando. O próximo passo agora é decidir a que partido se filiar e a que cargo concorrer.

Em outras entrevistas, ele afirmou sem simpatizante do presidente Jair Bolsonaro.

Veja alguns vídeos de Dom Wagner


Rei do pacote

Sobre os questionamentos a respeito da 'ostentação' que faz nas redes sociais, Dom Wagner afirmou que seu patrimônio vem de muito trabalho, pois atua na compra e venda de carros e motos.

“Meu dinheiro vem do céu. Porque eu oro muito para Deus me dar tudo que tenho e trabalho corretamente. Mexo com compra e venda de carro e moto e vendo bem graças a Deus. Então é daí que vem a minha renda. Eu não bebo, não fumo, então tem como eu guardar dinheiro, correto", explicou.

Polícia Civil cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de Dom Wagner.
Conforme apurado pela reportagem, há um processo, decorrente de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) de 2016, em que é acusado de prática de agiotagem. Dom Wagner, na época, teve a mesma arma ( que tem registro) apreendida, além de R$ 11 mil reais.

“Nesse dia me abordaram na rua e apreenderam R$ 11 mil reais no meu carro e entraram na minha casa, sem mandado e apreenderam minha arma. A arma foi devolvida, mas o dinheiro continua com a Justiça. Eles alegam que sou agiota, mas nunca mexi com isso. Na época eu comprava bugiganga no Shopping Popular e vendia. O banco estava em greve e eu tinha sacado R$ 1.500,00 por dia e estava juntando por conta da greve bancária”, afirma.

Segundo Dom Wagner, seus vídeos têm o único objetivo de fazer as pessoas sorrir. Para ele, isso só não agrada quem teria inveja.

“Isso é inveja, já entram na minha casa várias vezes e nunca apreenderam nada. Os meus vídeos só fazem alegria. Só acha os meus vídeos ruins quem tem inveja. Esse fato aí da operação só aumentou meus seguidores. Essa é a voz do Dom Wagner: Passar bens”, finalizou o “Rei do Pacote”.

Dom Wagner matou um bandido que tentou assaltar sua casa em Poconé. REPRODUÇÃO
Apreensão de arma

A arma, apesar de possuir registro em nome de Dom Wagner, junto à Polícia Federal, foi apreendida na última sexta-feira (02), durante mandado de busca e apreensão cumprido pela Polícia Civil. As investigações iniciaram após o revólver aparecer no colo de uma pessoa sem porte ou posse, em um vídeo filmado pelo próprio influencer. Conforme a PJC, o crime é tipificado no artigo 14 da lei 10.826/2003.

O revólver ainda foi usado por Dom Wagner para matar um bandido ,que invadiu sua casa. A intenção do influencer era defender a família, que foi atacada pelos assaltantes.

FONTE: RAUL BRADOCK
DO REPÓRTER MT
Tecnologia do Blogger.