Gruta da Lagoa Azul em Nobres está fechada — Foto: Gcom-MT/Divulgação
A Gruta da Lagoa Azul, em Nobres, a 151 km de Cuiabá, está fechada para visitação desde 2002, por determinação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), devido às degradações do local. A Gruta é considerada um dos principais pontos turísticos do município.

O Ibama informou que o processo passou a ser de responsabilidade da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) e do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas (CECAV).

De acordo com a Sema, há um projeto de manejo no Parque Estadual Gruta da Lagoa Azul para a preservação do ecossistema existente na área e assegurar a preservação dos recursos naturais. No entanto, não há nenhum processo de reabertura previsto para o local, pois é necessário que o CECAV emita um parecer de liberação da gruta.

O G1 entrou em contato com o CECAV, mas até a publicação desta reportagem não obteve resposta.

Gruta da Lagoa Azul, em Nobres — Foto: José Medeiros/Gcom/MT
A gruta é denominada por rochas e uma lagoa de água cristalina. Segundo pesquisadores, a lagoa surgiu quando o lençol subterrâneo de água aflorou no local. A cor azul predominante na água envolve uma série de elementos, entre eles carbonato de cálcio e magnésio.

Segundo a Prefeitura de Nobres, o local permanece intacto. No entanto, falta investimentos em melhorias na infraestrutura e segurança para que seja aberto novamente aos turistas.

“A esperança era de reabrir o local no segundo semestre deste ano. Procuramos o governo para saber como está essa situação, mas seguimos sem resposta”, afirmou a assessoria.

Parque Estadual Gruta da Lagoa Azul — Foto: Assessoria/Sema-MT
O secretário de Turismo de Nobres, Daniel Martins da Cruz, informou ao G1 que a maioria dos turistas que visitam o município procuram pela Gruta e se decepcionam ao saber do fechamento.

Ele disse que não é possível calcular quanto o turismo no local geraria ao município, mas garantiu que, em um ano, a Gruta geraria renda suficiente para que o turismo de Nobres se sustentasse durante cinco anos.

“Hoje não conseguimos explorar nosso turismo. Não tem equipes de fiscalização no local, e isso faz com que exista o turismo clandestino, muitos guias levam grupos escondidos para o local. Com a reabertura, o turismo seria legalizado e ajudaria na preservação da caverna”, ressaltou

A previsão, segundo o secretário, é de que seja investido R$ 1,5 milhão para a revitalização da gruta.

“Nesta semana marcaremos uma reunião para discutir o processo de reabertura, que é a prioridade do município até o fim do ano. O local recebe turismo internacional, gera empregos, então precisamos cobrar e trabalhar para a reabertura da gruta”, disse.

FONTE: G1 MT
Postagem Anterior Próxima Postagem