Motoristas de aplicativo fazem protesto em Cuiabá — Foto: Flávio Mesquita Munhoz da Silva
Motoristas por aplicativo fizeram uma manifestação, na manhã desta quarta-feira (2), em Cuiabá. Eles protestaram contra uma lei sancionada pela prefeitura que define taxas para licença de funcionamento e fiscalização. Ambas devem ser pagas anualmente.

A primeira taxa foi fixada no valor de R$ 155, e a segunda R$ 0,05 por quilômetro rodado.

Segundo o representante dos motoristas de aplicativo, Flávio Mesquita Munhoz da Silva, conhecido como 'Kiko', no processo de vistoria, os agentes de Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) estão impedindo de se cadastrar no serviço, os veículos com pequenos arranhões na lataria ou em inconformidade com o padrão estabelecido.

Protesto feito por motoristas de aplicativo no Centro de Cuiabá — Foto: Francinei Marans
Com relação a essas reclamações, a prefeitura informou que a cobrança de taxa de vistoria está prevista em Lei, amplamente discutida com a categoria e aprovada em abril deste ano. E, antes da sanção, o valor da taxa foi reduzido de R$180 para R$155, atendendo a solicitação da categoria.

A prefeitura esclarece ainda que o valor de R$0,5 cobrado por km rodados nas corridas é cobrado nas plataformas, Uber e 99. O montante arrecadado seria aplicado na obras de melhoria da infraestrutura da cidade.

Profissionais reivindicam taxas cobradas pela prefeitura — Foto: Francinei Marans
Com relação às vistorias a Sembo destacou que simples arranhões não implicam em reprovação do veículo, a não ser que, o estrago o prejudique visualmente. Durante o procedimento, são avaliados critérios como lataria, para-choques, pintura, película, para-brisas, limpadores, faróis, buzina, freios, bancos, estepe, assoalho, retrovisores, entre outros.

Durante o protesto, motoristas percorreram ruas do Centro da cidade.

FONTE: G1 MT
Postagem Anterior Próxima Postagem