DOUGLAS SACHA/GETTYIMAGES
Além da coloração, existe outro aspecto importante para se prestar atenção na urina: a presença de gordura. Anormal, a situação é um provável sintoma de problemas nos rins, sendo necessária a realização de exames para diagnosticar a causa.

A gordura pode ser percebida por meio do aspecto turvo ou meio oleoso da urina, mas apenas com o teste é feita a confirmação. Ao microscópio, é possível observar a presença de gotículas de gordura, estruturas ovais, cilindros formados por células de gordura e cristais de colesterol. A identificação das estruturas é o primeiro passo para que o médico identifique a causa e inicie o tratamento adequado.

O que pode ser a gordura na urina

1. Síndrome nefrótica

A síndrome nefrótica é uma das principais situações em que se observa gordura na urina. Ela é caracterizada pela excreção excessiva de proteínas devido à lesão constante nos vasos sanguíneos dos rins, podendo acontecer em consequência da diabetes, do lúpus ou de doenças cardíacas, por exemplo.

Além do aspecto oleoso na urina, é possível perceber o xixi um pouco espumoso e um inchaço nos tornozelos ou pés.

O que fazer: Quando a presença de gordura na urina ocorre devido à síndrome nefrótica, o tratamento indicado pelo nefrologista inclui remédios para diminuir a pressão, diuréticos ou medicamentos que diminuam a atividade do sistema imunológico, para diminuir a inflamação. Também são feitas mudanças na dieta.

2. Desidratação

No caso de desidratação, além da presença de gordura, a urina torna-se mais concentrada, com cheiro forte e cor escura.

A desidratação pode acontecer como consequência de doenças ou devido a quantidades insuficientes de água durante o dia.

O que fazer: É importante beber pelo menos 2 litros de água ou líquidos por dia, para evitar a desidratação, além de beber água durante e após a atividade física. No entanto, em casos de desidratação severa, é importante que a pessoa seja levada rapidamente para o hospital ou pronto-socorro mais próximo e receba soro na veia para restabelecer a hidratação.

3. Cetose

A cetose é uma situação caracterizada pela produção de energia a partir da gordura quando não há glicose suficiente no organismo, sendo considerada um processo natural do corpo. Dessa forma, como resposta a períodos de jejum ou dieta restrita, as células de gordura são destruídas e há a formação de corpos cetônicos que podem ser identificados na urina.

No entanto, quanto maior a produção de corpos cetônicos e maior quantidade na urina, maior é o aspecto gorduroso. Além disso, é possível saber que a pessoa se encontra em cetose devido ao hálito forte e característico dessa situação, aumento da sede, diminuição da fome e dor de cabeça, por exemplo.

O que fazer: Apesar de o processo ser natural, é importante ter atenção à quantidade de corpos cetônicos no sangue e na urina, pois o aumento pode diminuir o pH sanguíneo. É recomendado evitar ficar longos períodos em jejum sem que haja recomendação do médico ou nutricionista. A realização de dietas restritas, como a cetogênica, sem acompanhamento especializado, também não é indicada.

4. Quilúria

A quilúria é uma situação caracterizada pela passagem dos fluidos linfáticos do intestino para os rins, resultando no aspecto meio leitoso e gorduroso da urina, isso porque boa parte da gordura da dieta é absorvida pelos vasos linfáticos no intestino. Além da cor mais esbranquiçada e da presença de gordura, é possível que haja dor ao urinar ou aumento da vontade de fazer xixi.

O que fazer: O tratamento para quilúria deve ser feito de acordo com a causa, que pode estar relacionada a infecções, tumores, problema nos rins ou ser congênita. Em todas as situações é recomendado que a pessoa faça uma dieta pobre em lipídios e rica em proteínas e líquidos. (Com informações do portal Tua Saúde)

FONTE: METRÓPOLES
Postagem Anterior Próxima Postagem