REPRODUÇÃO
O AVC (acidente vascular cerebral), popularmente conhecido como “derrame”, acontece quando o suprimento de sangue que vai para o cérebro é interrompido ou drasticamente reduzido, privando as cédulas de oxigênio e de nutrientes. Ou, então, quando um vaso sanguíneo se rompe, causando uma hemorragia cerebral. Entre as causas dessas ocorrências, estão a malformação arterial cerebral (aneurisma), hipertensão arterial, cardiopatia, tromboembolia (bloqueio da artéria pulmonar).

Há dois tipos de AVCs:

  • Acidente vascular cerebral isquêmico – causado pela obstrução ou redução brusca do fluxo sanguíneo em uma artéria do cérebro, o que causa a falta de circulação vascular na região. Este tipo de AVC corresponde a 85% dos casos.
  • Acidente vascular cerebral hemorrágico – acontece quando um vaso se rompe espontaneamente e há extravasamento de sangue para o interior do cérebro. Este tipo de AVC está mais ligado a quadros de hipertensão arterial.

Os principais fatores de risco para a ocorrência de um AVC são:

  • Pressão alta;
  • Diabetes;
  • Colesterol elevado;
  • Tabagismo;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Arritmia cardíaca.
  • Sintomas de um AVC

É importante saber identificar quando um AVC está ocorrendo e buscar imediatamente o hospital, a intervenção médica imediata é fundamental para evitar e diminuir sequelas. “O início de um AVC é súbito e o atendimento precisa ser imediato para que o paciente não perca a vida e as consequências sejam as menores possíveis”, explica a médica Letícia Rabello, neurologista do Hospital Brasília. Quanto mais cedo forem tratados o acidente vascular cerebral isquêmico e o acidente vascular cerebral hemorrágico, melhores são os prognósticos do paciente.

Os principais sintomas do AVC são:

  • Fraqueza de um lado do corpo;
  • Dificuldade para falar;
  • Perda de visão;
  • Perda da sensibilidade de um lado do corpo;
  • Alterações motoras;
  • Paralisia de um lado do corpo;
  • Distúrbio de linguagem;
  • Distúrbio sensitivo;
  • Alteração no nível de consciência.


FONTE: METRÓPOLES
Postagem Anterior Próxima Postagem