'Meu propósito aqui é a pacificação', diz ex-global Regina Duarte ao tomar posse

NBR / Divulgação
A atriz Regina Duarte tomou posse na Secretaria de Cultura nesta quarta-feira (4), em Brasília, defendendo a "pacificação" entre governo, setores culturais e o Poder Legislativo.

Regina Duarte chegou ao auditório de braços dados com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e abriu seu discurso agradacendo o convite ao "amigo" Jair Bolsonaro e ao ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Ela também elogiou a primeira-dama Michelle Bolsonaro, chamada de "linda, suave, doce, iluminada".

Muito aplaudida — havia, aliás, um espaço no auditório destinado para seu fã-clube — e emocionada, ela também agradeceu ao apoio que recebeu nas ruas e de pessoas da classe artística.

"Tive muito incentivo do tipo: vai, segura essa para a gente, antes que um aventureiro lance mão. Me apoiei no carinho de várias pessoas que mee screveram no Instagram e pessoas anônimas que me encontraram nas ruas, nos aeroportos. De 97% eu recebi aprovação."

A atriz afirmou que aceitou o convite com objetivo de pacificar a relação entre governo e setores da classe artística e estimular e difundir a cultura nacional.

Em seu discurso, logo a seguir, o presidente Bolsonaro afirmou que a atriz passará por uma fase probatória. "Você merece muito mais do que isso", disse ele.

Biografia

Filha de pai militar do Exército e mãe professora de piano, Regina Duarte nasceu em Franca (SP), em 1947. Apaixonados por cultura e pelas artes, os pais incentivaram a criatividade e o amor pelo campo artístico nos cinco filhos.

Regina Duarte, desde criança, gosta das artes cênicas. Promovia, nos fins de semana, ao lado dos irmãos, espetáculos em casa. Havia encenações, interpretações de poesia e música.

Em 1960, iniciou sua carreira artística no Teatro do Estudante de Campinas. Em 1965, começou profissionalmente em Teatro e TV. Por mais de meio século fez apresentações de teatro, interpretou papeis na televisão e no cinema. Convidada pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria Especial de Cultura, sentiu-se honrada e motivada a construir pontes e trabalhar na área que sempre atuou e que acredita ser ao lado da Educação a base da construção de saberes em um país.

FONTE: R7 NOTÍCIAS