PM fecha baile funk e troca tiros com bandidos em VG; um é baleado

REPRODUÇÃO
A Polícia Militar (PM), por meio do 2º Comando Regional, fechou um baile funk regado a álcool e drogas, nesta madrugada de domingo (1), no bairro Jardim Icaraí, em Várzea Grande. Policiais militares e bandidos trocaram tiros durante a abordagem e um criminoso foi baleado, sendo atingido na nádega.

A PM recebeu diversas denúncias, via Ciosp, de perturbação da tranquilidade e menores consumindo bebida alcoólica e entorpecente.

Conforme o boletim de ocorrência, a festa estava acontecendo a portas fechadas, com um som extremamente alto, tocando funk. Ao chegarem ao local, os militares fizeram um cerco no espaço em que ocorria o baile e solicitaram a abertura do portão.

Cerca de 350 pessoas participavam do evento. Com a chegada da polícia, participantes armados fizeram disparos de arma de fogo para o alto, causando pânico no local.

A multidão começou a correr, tentando fugir dos tiros. Alguns pularam muros e outros se esconderam. A equipe de militares que fazia guarda no portão consegui deter parte do público.

No momento em que um dos indivíduos armados tentou pular um muro da lateral esquerda, os militares conseguiram cercá-lo. Em seguida, ele apontou a arma contra a equipe, que revidou. O bandido foi atingido na coxa, nádega e no ombro.

Com ele foram apreendidos um revólver Taurus calibre 38, cinco munições, cinco porções de cocaína e cigarros de maconha.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e encaminhou o criminoso para o Pronto-Socorro de Várzea Grande. Os médicos informaram que o paciente não corre risco de morte.

Conforme a ocorrência, vários presentes tinham passagens criminais e metade era menor de idade.

Várias garrafas de bebidas e porsões entorpecentes foram apreendidas.

Um homem, identificado apenas como J., resistiu à abordagem e foi encaminhado para Central de Flagrantes de VG.

A Polícia Civil investiga os crimes de porte ilegal, disparo de arma de fogo, corrupção de menores, apologia ao crime e lesão corporal.

FONTE: REPÓRTER MT