PM fecha empresa de cobrança em Cuiabá por desobedecer quarentena obrigatória

RepórterMT/Reprodução
A Polícia Militar (PM) fechou uma empresa de cobrança por telemarketing durante a manhã desta segunda-feira (23) no bairro Morada do Ouro, em Cuiabá, após o estabelecimento desobedecer ao decreto assinado pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) na última sexta-feira (20), onde fica proibido de funcionar todos os serviços não essenciais por 15 dias, como medida de segurança à saúde pública e evitar o contágio e transmissão da Covid-19.

A empresa foi fechada, inicialmente como medida de orientação, já que além de desobedecer à ordem municipal, vários funcionários trabalham lado a lado no local sem o mínimo o espaço de 1,50m de distância entre um e outro, tido como espaço de segurança pela OMS (Organização Mundial da Saúde), deixando os trabalhadores expostos a serem infectados pelo Coronavírus ou contaminar colegas de trabalho, com o risco de levar a doença para casa.

Na Capital apenas serviços essenciais, como mercados, deliverys, farmácias e demais serviços de saúde estão autorizados a funcionar. Restaurantes e lanchonetes também podem trabalhar, desde que por entrega.

O transporte público, que estava liberado apenas para funcionários da saúde, com apresentação de crachá, está funcionando apenas em 30% da capacidade por ordem da Justiça do Estado.

As operações da polícia por todo Estado de Mato Grosso, obedecendo ao decreto do Governador Mauro Mendes (DEM), já conduziram quatro pessoas às delegacias por descumprimento das determinações legais. Mas a PM também contabilizou 50 ocorrências com orientações que evitaram aglomerações e fechou 19 estabelecimentos comerciais, principalmente bares que não estavam respeitando a lotação máxima de 50%, além do distanciamento de 1,5 metros. As ações são realizadas desde sexta-feira (20), quando entrou em vigor o decreto do governo estadual (419/20) estabelecendo medidas restritivas e prevenção à propagação do coronavírus.

FONTE: REPÓRTER MT