PMs invadem fazenda para 'roubar', intimidam e mantêm funcionários em cárcere privado

REPRODUÇÃO
Três policiais militares e um comparsa foram presos, no início da tarde do último sábado (25), acusados de ameaçar e manter funcionários de uma fazenda em cárcere privado para que pudessem, supostamente, ‘roubar’ a propriedade localizada nas proximidades do Distrito de Santa Elvira, em Juscimeira (157 km da Capital).

De acordo com a ocorrência, os policiais teriam invadido a fazenda à paisana, porém, usando uma viatura militar fora do horário de serviço, quando ficaram na varanda da casa fumando e manuseando as armas de fogo, como meio de assustar e intimidar as vítimas.

Inicialmente, os funcionários não sabiam que os ‘bandidos’ se tratavam de PMs.

A Força Tática recebeu a denúncia anônima e se deslocou à propriedade para atender a ocorrência, onde flagraram os policiais cometendo o crime de extorsão mediante ameaça de arma de fogo.

Segundo o relato do proprietário aos policiais, a fazenda estava sendo ‘roubada’.

Uma testemunha disse ainda que no dia anterior os acusados passaram de caminhonete em alta velocidade pela propriedade, quando atropelaram o cachorro de uma das vítimas e ainda assim continuaram com a ‘abordagem’ no intuito de intimidar e coagir os trabalhadores.

 A ocorrência foi registrada pelos crimes de ameaça, sequestro, cárcere privado e maus tratos a animais e encaminhada à Delegacia de Polícia Civil, onde os militares corruptos foram detidos, ouvidos pelo delegado de plantão e ficaram à disposição da Justiça.

Além dos procedimentos do flagrante, um inquérito foi aberto para a investigação do caso.

O comando do Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental informou por meio de nota que após a denúncia afastou os policiais das atividades operacionais, porém, por decisão judicial os militares continuam em liberdade atuando em atividades administrativas e ressaltou que os acusados não estavam usando viatura no dia do crime.

Nesta segunda-feira (27), o Batalhão Ambiental recebeu toda a documentação referente o flagrante, como o boletim de ocorrência, auto de prisão e decisão judicial, que será encaminhada à Corregedoria da Polícia Militar do estado, que abrirá investigação sobre a conduta dos policiais.

Veja nota na íntegra

“O comando do Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental informa que além das prisões ocorridas no sábado (25) em uma fazenda no distrito de Santa Elvira, efetuadas pela Unidade da Força Tática da Polícia Militar de Rondonópolis sob denúncia de ameaça, cárcere privado e maus-tratos a animais, a instituição decidiu pelo afastamento dos três policiais da 2ª Ambiental de Rondonópolis das atividades operacionais.

Informa ainda que na tarde de hoje (27), o Comando do Batalhão Ambiental, com sede em Cuiabá, recebeu a documentação referende à prisão dos policiais(Boletim de Ocorrência), o auto de prisão em flagrantes, decisão judicial, entre outros. Com essa documentação a Corregedoria da PMMT dará início ao procedimento investigatório que vai apurar a conduta dos policiais

Por decisão judicial, os três militares estão em liberdade e agora passam a atuar em atividades internadas da PM”.

FONTE: REPÓRTER MT