Equilíbrio em meio ao caos

Foto: Unsplash
“Eu disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo” (João 16.33).

Esse versículo nos orienta como nos comportar diante das aflições. Com bom ânimo!

Diante de tudo o que estamos vivendo nesses últimos dias, eu pensei bastante antes de escrever. Sabia que precisava me aquietar para ouvir claramente o que meu coração tinha para destacar em meio a esse caos que se instalou no mundo. Não queria falar as mesmas coisas que todos já estão dizendo. Enfim, chegou ao meu coração o que primeiro estou experimentando na minha vida, com esforço, domínio próprio e muita fé em Deus.

Primeiro quero trazer clareza sobre a palavra CAOS segundo o dicionário formal para ajudá-lo a entender aonde eu quero chegar. Caos é confusão geral, sistema sem estabilidade, desordem…

Quero lembrá-lo de que Deus entende de desordem. Ele ordenou em meio ao caos descrito em Gênesis: “Haja luz! E houve luz!” Não existe desordem que se sustente diante da grandeza de Deus.

Todos nós, em momentos diferentes já vivenciamos situações de caos em nossa vida. Uns já passaram por caos financeiro na família, caos no casamento, caos na relação com os filhos, caos no trabalho, caos nos relacionamentos, caos na sua saúde e em tantos outros aspectos.

Qual a diferença então do que estamos vivenciando agora no Brasil com a repentina chegada do coronavírus? A diferença é que, neste caos, todos estamos passando ao mesmo tempo e cada um reagirá de uma maneira diferente. Alguns estão com medo, muitos estão desesperados, há aqueles que estão acuados em meio às notícias de tantas pessoas infectadas por esse vírus e ainda existem aqueles que estão estarrecidos com as milhares de mortes que estão acontecendo pelo mundo simultaneamente.

Tem muita gente lidando com sentimentos como: ansiedade, crises de pânico e ainda existem aqueles em choque por não saberem como será seu amanhã. Mas, graças a Deus, também existem aqueles que creem que o Senhor é maior do que tudo isso e descansam n’Ele.

Comecei esse texto com o melhor versículo para um momento como este.

Jesus nos avisou que teríamos aflições no mundo. Portanto, não fomos enganados que viriam situações difíceis para todos nós. Algumas individuais e outras coletivas como essa que enfrentamos no momento, mas Ele não disse apenas que teríamos aflições, Ele ressaltou algo. Tende bom ânimo. Parafraseando, tenha equilíbrio. Isso vai passar. Ele ainda nos anima um pouco mais: “Eu venci o mundo e vós também vencereis”.

Estamos vivendo dias nos quais vemos a diferença de quem serve a Deus e quem não serve. Essa doença veio e tem mostrado que não adianta ser rico, ter muitos bens, carros, dinheiro no banco, ela está devastando famílias, dizimando cidades e muitos hospitais estão abarrotados de doentes.

Médicos estão assustados, equipes estão exaustas de tanto trabalhar para salvar o máximo de pessoas possíveis. Nações estão em pânico. Nunca se viu uma situação dessas no mundo. Em nosso país, assim como muitos outros, estamos em casa, sem poder sair, desenvolver as nossas atividades, encontrar a nossa família, amigos e irmãos em Cristo, congregar em nossa igreja.

No Brasil, existem mais de 11 milhões de pessoas disputando espaço em casas minúsculas, sem condições de lidar com esse drama por muito tempo. Mais de 13 milhões de desempregados. Milhões temem passar fome, perder seu emprego. Existem muitos que trabalham por conta própria e precisam sair para ganhar seu sustento todos os dias, crendo para a alimentação e provisão.

O nosso país estava nos últimos meses se reerguendo de crises políticas e financeiras instaladas nos anos anteriores, e,  de repente, surge esse vírus, mostrando que sem Deus não somos nada e se não nos apegarmos a Ele com fé e determinação, vai faltar equilíbrio para lidar com tantas consequências desse surto.

Mas, calma, respire, conte até dez. Nós não somos como os demais que não têm esperança. (I Tessalonicenses 4.13).

Mude a sua forma de enxergar esta situação. Comece pelas suas confissões, sua maneira de pensar, sentir e agir em meio ao caos. Lembre-se de que nós não estamos presos em casa, estamos protegidos! Sair de casa, nos tornará expostos a um vírus invisível que tem causado estragos inimagináveis.

Durante os próximos dias, busque se aquietar. Muitos dizem: aproveite para ler, escrever, organizar a casa, fazer aquela faxina no guarda-roupa, brincar com os filhos, cuidar dos pais, não ver notícias tóxicas, entre outras coisas que já li sobre isso, acho pertinente e tudo isso é excelente, mas se não houver equilíbrio dentro de você, uma coisa é fato: você não conseguirá ler, organizar nada por fora, porque por dentro está tudo bagunçado.

Aquiete a sua alma e diga a ela que o Senhor continua no trono, cuidando dos seus filhos, zelando pela Sua Palavra. Fale para si mesmo que Deus é a sua provisão. Não é governo, pessoas, nem mesmo seu emprego. Essas coisas não têm poder de lhe dar garantias, mas Deus tem.

Sim, continua valendo essa declaração: “Nunca vi o justo desamparado, nem seus filhos mendigando o pão” (Salmos 37:25).

Estamos vivendo dias nos quais ou cremos, ou cremos! Não existe meio termo.

O foco desse texto é animá-lo a buscar equilíbrio em meio ao caos.

Criticar governo não ajuda, vá por mim, eu sei o que estou falando. Existe um esforço da minha parte em orar pelas nossas lideranças, pois sei que é bíblico. Já era necessário orar por eles antes, agora, muito mais. Oremos por aqueles que estão na linha de frente da situação. Oremos pelos nossos líderes para que tomem as decisões certas, oremos pelos médicos e enfermeiros que estão lidando de perto com os pacientes, oremos pelas nossas famílias, para que permaneçam em paz, crendo em Deus que isso também passará.

Observando rapidamente as redes sociais vejo que com apenas uma semana em casa já tem gente “surtando”, sem a menor paciência. E reflito: Qual o nosso nível de equilíbrio diante desta situação? Eu me questiono. Não tínhamos tempo para nada. Agora, temos tempo e o que estamos fazendo com esse tempo?

Oremos até mesmo por aqueles que não creem em Deus, para que sejam sensíveis em perceber que se permanecerem impermeáveis aos sinais, sofrerão e farão outros sofrerem.

Graças a Deus temos sido abastecidos com a Palavra da Fé diariamente. Seja por áudios, vídeos, mensagens em texto, através do nosso portal. Há um ditado, cujo autor é desconhecido que diz: “Alimente a sua fé e seus medos morrerão de fome”. Não estamos congregando na igreja local, mas temos sido abastecidos com conteúdos regados por força e fé através da internet. Use essas ferramentas a seu favor.

É tempo de ajudar os menos favorecidos.

Encerro animando você a praticar o bem para tornar-se uma pessoa melhor e ter paz em meio ao caos.

Exercite a generosidade. Cuide de seus pais, eles precisam ser guardados em oração e cuidados por você. Ligue para as pessoas, mande uma mensagem de fé, se puder, oferte na vida dos menos favorecidos nesse momento. Ore, Deus vai guiá-lo às pessoas certas. Enquanto você ajuda alguém, Deus se move em seu favor para suprir as suas necessidades.

E quando tudo isso passar, seu equilíbrio vai torná-lo uma pessoa melhor, mais madura e mais humana, acredite! Eu creio que quando esta onda passar e a vida voltar ao normal, não seremos mais os mesmos. O mundo não será mais o mesmo, então, mude o que precisa mudar, no secreto, em casa e quando estiver de volta a rotina, perto das pessoas, elas notarão sua mudança e serão beneficiadas por ela.

Lembre-se de que tudo passa! Respire fundo, conte até dez quantas vezes for preciso.

“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia” (Salmos 46:1).

Por Dione Alexsandra Ferreira - Publicitária, pós-graduada em Comunicação Digital; Professora do Centro de Treinamento Bíblico Rhema; autora dos livros "Superação" e "Jornada para a Liberdade", publicados pela Editora Reinar e integrante do Departamento de Comunicação do Centro de Operações do Ministério Verbo da Vida.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal ROSARIONEWS.

0/Faça seu comentário