23 municípios de MT possuem risco muito alto e teriam que decretar quarentena

REPRODUÇÃO
Vinte e três municípios de Mato Grosso atingiram, nesta segunda-feira, o risco muito alto para disseminação do novo coronavírus e, com isso, deveriam decretar a quarentena obrigatória por 15 dias, de acordo com decreto do governo do Estado, e como já ocorre em Cuiabá e Várzea Grande. Por volta das 15h, quando os dados do boletim foram fechados hoje, haviam 23 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinadas para pacientes com coronavírus no Estado, sendo dois em Barra do Garças, um em Juína, e o restante em Cuiabá e Várzea Grande.

Além da Capital e do município vizinho, que tiveram que implantar a quarentena obrigatória após determinação da Justiça, estão na mesma situação, de acordo com boletim da secretaria de Estado de Saúde, Rondonópolis, Sorriso, Primavera do Leste, Lucas do Rio Verde, Pontes e Lacerda, Cáceres, Nova Mutum, Campo Verde, Tangará da Serra, Sinop, Querência, Colíder, Marcelândia, Vila Bela da Santíssima Trindade, Guarantã do Norte, Nossa Senhora do Livramento, Porto Esperidião, Campo Novo do Parecis, Sapezal, Poxoréo, Juruena.

Dos municípios com mais de 150 casos ativos do novo coronavírus, todos hoje possuem risco muito alto. Outros 12 com risco muito alto possuem de 51 a 151 casos.

Outros 60 municípios têm hoje risco alto de disseminação do novo coronavírus e também teriam que adotar medidas mais restritivas. Entre eles estão municípios como Barra do Garças que no boletim divulgado nesta segunda-feira registrou mais quatro óbitos por covid.19.

A necessidade dos municípios do interior adotarem medidas mais restritivas para frear a curva ascedente da pandemia foi, inclusive, amplamente defendido pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro. O prefeito afirma que Cuiabá e Várzea Grande estão sendo sacrificadas com a decretação da quarentena obrigatória, enquanto os municípíos do interior continuam funcionando normalmente, sem prejuízo à economia, e continuam mandando os pacientes para a Capital, uma vez que no interior não sobram leitos de Unidade de Terapia Intensiva.

Além de Cuiabá e Várzea Grande, a Justiça também tinha determinado a quarentena obrigatória, por um período mais curto, de sete dias, em Rondonópolis, mas a decisão foi revista e ficou sob a responsabilidade do município as decisões sobre flexibilização ao não das atividades comerciais.

Veja a lista dos 60 municípios com risco alto:

Barra do Garças, Matupá, Pedra Petra, Peixoto de Azevedo, Jaciara, Campos de Júlio, Feliz Natal, Poconé, Água Boa, Claudia, Rosário Oeste, Diamantino, Mirassol D’Oeste, Juína, Santo Antônio do Leste, Pontal do Araguaia, Alto Garças, Juscimeira, Nobres, Juara, General Carneio, Acorizal, Gaúcha do Norte, Lambari D’Oeste, Comodoro, Nova Olímpia, São José dos Quatro Marcos, Arenápolis, Barra do Bugres, Terra Nova do Norte, Campinápolis, Rio Branco, Curvelândia, Nova Ubiratã, Ipiranga do Norte, Itiquira, Nova Bandeirantes, Nova Canaã do Norte, São Felix do Araguaia, São José do Povo,   Alto Paraguai, Barão de Melgaço, Itaúba, Santo Afonso, Tabaporã, Itanhangá, Paranaíta, Serra Nova, Alto Taquari, Figueirópolis D’Oeste, Nortelândia, Porto Estrela, União do Sul, Castanheira, Denise, Nova Monte Verde, Nova Nazaré, Jauru, Nova Xavantina e São José do Xingu.

FONTE: REPÓRTER MT

0/Faça seu comentário