Bandidos sequestram e espancam jovem para roubar herança de R$ 100 mil

REPRODUÇÃO
Um rapaz de 22 anos, nome não revelado, foi sequestrado durante a noite de domingo (14) e mantido em cárcere privado até o início da tarde da última segunda-feira (15), quando foi espancado pelos sequestradores que exigiam a quantia de R$ 100 mil que a vítima tinha recebido de herança do pai no município de Alta Floresta (790 km da Capital).

De acordo com o relato da vítima, ele foi abordado por Hyundai HB20 vermelho e colocado dentro do veículo por dois homens, que o levaram para uma casa nas proximidades do bairro Cidade Alta, onde sofreu agressões físicas por toda a noite e os ladrões roubaram dele R$ 1.050 mil e uma corrente de ouro.

O jovem explicou que enquanto era espancado, os ladrões falavam de um cofre e que sabiam dos R$ 100 mil que a vítima tinha recebido.

Na manhã de segunda-feira (15) a vítima foi ‘acordada’ já com a ordem de que seria levada a agência bancária, uma cooperativa de crédito, para que sacasse o valor e entregasse para os bandidos, com a promessa de que seria solto em seguida.

Porém, entre o final da manhã e o início da tarde, os criminosos levaram o jovem até a agência, mandaram que ele entrasse para fazer o saque do dinheiro, que devido ao valor teria que ser feito dentro da agência, já que esse montante não é liberado no caixa eletrônico, enquanto isso os ladrões aguardavam o rapaz do lado de fora.

Dentro da cooperativa, evitando falar muito para que não fosse percebido pelos criminosos, o rapaz escreveu um bilhete para o funcionário do banco explicando que foi sequestrado e que estava fazendo o saque para entregar para os criminosos.

O bancário, discretamente, fez contato com a Polícia Militar (PM) e comunicou o fato, mas quando os policiais chegaram ao estabelecimento já não encontraram mais os ladrões, que tinham ‘desaparecido’, supostamente, por terem percebido a demora da vítima e notado a proximidade das viaturas policiais.

Questionado sobre como os bandidos sabiam da herança, o rapaz disse que não sabia como descobriram o dinheiro, pois, nunca tinha visto os dois antes.

Além de todos os fatos até aquele momento, a vítima ainda relatou que um dos bandidos é moreno, aproximadamente 1,73m, magro e com uma tatuagem de coroa, com um nome de uma mulher, no braço direito. O comparsa seria branco, alto, magro e que dizia ter saído da cadeia há uma semana.

A guarnição militar saiu em rondas pela região tentando encontrar os acusados, mas nenhum suspeito foi localizado de acordo com as descrições da vítima. A ocorrência, registrada por crime de sequestro, cárcere privado e tentativa de roubo, foi encaminhada à Delegacia de Polícia Civil, responsável por investigar o crime.

FONTE: REPÓRTER MT

0/Faça seu comentário