Prefeitura informa que analisará decisão da Justiça de parar cidade por 15 dias; veja

REPRODUÇÃO
Depois da decisão da Justiça de impor aos municípios de Cuiabá e Várzea Grande quarentena coletiva obrigatória por 15 dias, medida conhecida como "lockdown", a Prefeitura de Cuiabá, por meio de nota, informou que avaliará a decisão judicial, expedida na noite de segunda-feira (22), para definir as medidas a serem adotadas. Conforme a nota, o prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro, vai se pronunciar em breve sobre o fato.

A liminar foi concedida pelo titular da Vara Especializada da Saúde Pública de Mato Grosso, José Leite Lindote em atendimento à solicitação do Ministério Público Estadual.

Segundo a decisão, Cuiabá e Várzea Grande a quarentena coletiva obrigatória pode ser prorrogada em caso de reavaliação.

Devem ainda implementar barreiras sanitárias, para triagem de entrada e saída de pessoas, permitindo apenas a circulação de quem exerce atividades essenciais e manter apenas os serviços públicos essenciais, exceto salões de beleza e barbearias e academias. As determinações constam do artigo 5º do Decreto Estadual nº 522/2020 e devem ser cumpridas a partir do dia 25 de junho.

Na tarde desta segunda-feira (22), a Procuradoria Geral do Município protocolou minuta de decreto em que o Executivo previa adoção de uma série de medidas como o  toque de recolher que teria  seu horário ampliado das 20h às 5h, a partir do dia 24 de junho até 12 de julho.

Quanto ao transporte coletivo, a proposta era de manutenção de até 70% da frota de ônibus do transporte coletivo municipal no período entre as 5h às 20h. Após esse horário, o sistema funcionaria  com até 30% da frota de ônibus, para fins de atendimento exclusivo dos profissionais que exercem as atividades essenciais. (Com assessoria)

FONTE: RDNEWS