Casa da Mulher Brasileira será implementada em Cuiabá

A ampliação do projeto da Casa da Mulher Brasileira vai levar o serviço a mais uma capital do país. Mulheres em situação de violência também poderão contar com uma unidade de atendimento em Cuiabá (MT).

A instalação seguirá as novas diretrizes para a Casa da Mulher Brasileira, que permitiram a compactação dos serviços oferecidos e a implementação em áreas já com estrutura. Isso reduzirá os custos com o projeto.

Para a secretária nacional de políticas para as mulheres do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Cristiane Britto, a reformulação do projeto, realizada no ano passado, contribui para a expansão e o fortalecimento do atendimento a mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

"Estamos iniciando uma nova etapa no projeto da Casa da Mulher Brasileira, ao incluir novos formatos mais econômicos e viáveis. Isso permitirá uma implementação mais rápida e com custo mais adequado à realidade do país. O nosso objetivo é garantir atendimento humanizado em todas as regiões e essa será a primeira unidade no Mato Grosso", afirmou Britto.

A secretária destaca que a unidade de Cuiabá será construída em um espaço de 269 m². O lugar terá capacidade para oferecer os serviços de recepção e triagem da mulher em situação de violência, atendimento multidisciplinar, administrativo, espaço de convivência, brinquedoteca, espaço para equipe de psicólogas e assistência social.

Além disso, a instalação terá uma área para receber advogadas e integrantes de serviços da rede especializada de atendimento a mulheres nessa situação. A oferta dependerá, no entanto, da disponibilidade dos serviços na localidade.

Recursos

A Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), responsável por coordenar a implementação da Casa da Mulher Brasileira em todo o país, já empenhou R$ 1,5 milhão para a construção da unidade na capital mato-grossense. Agora, a Caixa deve analisar o plano de trabalho com base nas diretrizes e requisitos para a celebração do contrato e o repasse dos recursos para o município. Se não houver problemas, o contrato é assinado.

Além disso, a cidade deverá atender às cláusulas relacionadas a título de propriedade do terreno, projeto de engenharia e licença ambiental. Logo após, o recurso será liberado e a obra fiscalizada pelo banco.

Novas unidades

Além da unidade de Cuiabá, outras 24 casas devem ser implementadas até 2021. Com isso, a prestação de serviço garantida pelo projeto aumentará em 250% neste ano.

Hoje, seis estados, além do Distrito Federal (DF), já contam com os serviços da Casa da Mulher Brasileira. Há unidades em funcionamento em Campo Grande (MS), São Luís (MA), Boa Vista (RR), Fortaleza (CE), Curitiba (PR) e São Paulo (SP).

O projeto

Criada em 2013, a Casa da Mulher Brasileira faz parte do programa Mulher Segura e Protegida, do MMFDH. O maior diferencial da iniciativa é oferecer 24h por dia, em um único espaço, serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres.

DA REDAÇÃO