Mortos pela Rotam assassinaram duas travestis e um assentado

Tchélo Figueiredo/Secom
José Carlos Fernandes Dumont, de 25 anos, identificado como um dos mortos pela Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam) na terça-feira (30), na região do Lago do Manso, era acusado de ter participado do assassinato de Ademilson Bezerra da Costa, morador do assentamento Flor da Mata, em Cuiabá.

O crime aconteceu em novembro de 2017. Na ocasião, Edson Angello, mandante do assassinato e intitulado como o representante dos grileiros, foi até a residência da vítima com outros comparsas para matá-la.

Ademilson Bezerra, conhecido como “Tina”, foi assassinado com um disparo de arma de fogo, após uma discussão. Conforme as investigações, ele foi acusado de praticar um furto na região.

Conforme o delegado Olímpio da Cunha Fernandes Júnior, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pelas investigações na época, José Carlos confessou ter atirado em “Tina”. Além de serem vizinhos, os dois tinham uma relação próxima, e até mesmo assistiam TV juntos.

Cleberson Rodrigo Marques e Silva, que também morreu com José Carlos, quando foram abordados pela polícia na MT-251, foi preso em 2011 pelo assassinato de duas travestis.

Segundo a Polícia Militar, os outros suspeitos também tinham passagens por furto, homicídio, ameaça, posse ilegal de arma e receptação.

O caso

A quadrilha seguia pela MT-251, com sentido ao Lago do Manso, pois planejava um roubo na região. A polícia foi informada e interceptou os suspeitos no caminho. Houve troca de tiros e 4 morreram no local. O quinto suspeito segue hospitalizado.

FONTE: Vitória Lopes
DO GAZETA DIGITAL

0/Faça seu comentário