Motorista perde controle da direção em pista dupla, invade outro lado e morre; veja fotos

O motorista de 33 anos, identificado como Diego Montalvão, morreu após bater violentamente seu carro, um Ford Fiesta, de frente com uma carreta Scania, placas de Cuiabá, durante a noite dessa segunda-feira (13) no km115 da BR-163, em Rondonópolis (212 km da Capital).

A equipe de resgate da Rota do Oeste, concessionária que administra esse trecho da rodovia, atendeu a ocorrência, sinalizou e isolou o local enquanto a equipe de socorro fazia o atendimento de primeiros socorros às vítimas.

Diego não resistiu aos graves ferimentos e a morte foi constatada ainda na rodovia. Já o motorista da Scania teve apenas escoriações superficiais pelo corpo, recebeu cuidados médicos na pista e não foi necessário encaminhamento médico.

A Polícia Militar (PM) deu apoio ao atendimento da ocorrência e comunicou o acidente, com morte, à Polícia Civil e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), responsáveis pelos procedimentos no andamento da ocorrência.

De acordo com as informações preliminares, o acidente teria acontecido no trecho da pista que é duplicada, mas que por algum motivo ainda desconhecido Diego tenha perdido o controle da direção do Fiesta e invadido a pista contrária, causando a violenta colisão entre seu carro de passeio e o veículo pesado.

Os peritos analisaram as condições em que o corpo foi encontrado e ainda periciaram todo o perímetro colhendo evidências que apontem as circunstâncias do acidente. Em seguida, o cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de necropsia, antes de o corpo ser liberado para os procedimentos fúnebres junto à família.

Os investigadores conversaram com o motorista da carreta, com testemunhas e agora aguardam os laudos periciais que devem confirmar as circunstâncias dos fatos e ainda devem apontar se foi falha humana ou mecânica o motivo de Diego ter perdido o controle do carro.

Durante o atendimento do acidente, foi feito um desvio para que os motoristas pudessem trafegar até que os profissionais terminassem seus trabalhos e os veículos retirados da via.




FONTE: MÁRIO ANDREAZZA
DO REPÓRTER MT