MP pede que a Justiça mantenha Cuiabá e VG 'fechadas' por mais 7 dias

reprodução
O Ministério Público do Estado de Mato Grosso requereu nesta quarta-feira (15) ao Poder Judiciário que mantenha por mais sete dias a proibição do funcionamento de serviços não essenciais em Cuiabá e Várzea Grande, em razão da pandemia da Covid-19. Com o pedido, o MPMT espera assegurar os 14 dias previstos no Decreto Estadual para municípios em situação de risco considerada “Muito Alta”.

Na última semana, os prefeitos Emanuel Pinheiro (MDB) e Lucimar Campos (DEM) entraram em acordo com a Justiça e conseguiram reduzir a continuidade da quarentena obrigatória de 14 para 7 dias. Com isso, a previsão é que o último dia de restrição aos serviços não essenciais seria até a quinta-feira (16).

A decisão de quarentena obrigatória e do juiz José Luiz Leite Lindote, da 1ª Vara Especializada da Saúde Pública de Várzea Grande, que atendeu a pedido do MP.
O promotor de Justiça Alexandre de Matos Guedes ressalta que, conforme Boletim da Secretaria Estadual de Saúde, publicado ontem (14), houve 52 óbitos em Mato Grosso em 24h em Mato Grosso. Ele também chama a atenção para o índice de ocupação dos leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) que até ontem estava na faixa de 93%.

O prefeito Emanuel Pinheiro também recorre judicialmente para que a imposição da quarentena obrigatória seja derrubada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).O gestor pede ao ministro Dias Toffoli, que reconsidere a decisão que negou seguimento ao recurso que pede a suspensão da quarentena coletiva obrigatória na região metropolitana.

FONTE: REPÓRTER MT