MT tem a 7ª maior taxa de mortalidade por Covid-19 no País; veja

Thiago Ribeiro/Agif/Folhapress
Embora esteja entre os cinco estados com menor número de casos de Covid-19 no Brasil, Mato Grosso tem a 7ª maior taxa de mortalidade. De cada 100 pessoas que testaram positivo para a doença em território mato-grossense, 3,79% não resitiram e morreram.

Os dados foram compilados pelo MidiaNews a partir de informações oficiais do Ministério da Saúde relativas à terça-feira (30).

Os números podem conter distorções em razão da capacidade de cada unidade da federação de realizar exames para detectar a doença.

A maior taxa de mortalidade está concentrada no Rio de Janeiro, onde para cada 100 testes positivos, 8,95 pacientes morrem. Pernambuco (8,2%) e Ceará (5,62%) ocupam a segunda e terceira colocações.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou até a terça-feira 16.304 casos confirmados da Covid-19 no Estado, com 629 mortes.

Mato Grosso só tem mais casos que Roraima (14.641), Acre (12.253), Tocantins (10.764) e Mato Grosso do Sul (7.965), este o Estado com o menor número de doentes em todo o País.

Casos por município

Os 20 municípios com maior número de casos de Covid-19 são Cuiabá (3.964), Várzea Grande (1.322), Rondonópolis (1.215), Sorriso (689), Primavera do Leste (636), Tangará da Serra (599), Lucas do Rio Verde (541), Nova Mutum (454), Sinop (413), Pontes e Lacerda (378), Campo Verde (339), Confresa (313), Cáceres (277), Barra do Garças (209), Campo Novo do Parecis (207), Colíder (206), Querência (201), Sapezal (175), Alta Floresta (158) e Alta Floresta (158).

Em 24 horas, surgiram 979 novas confirmações no Estado.

Dos 16.304 casos confirmados, 9.189 estão em isolamento domiciliar e 5.891 estão recuperados. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 222 internações em UTI e 278 em enfermaria. Isto é, a taxa de ocupação está em 92,5% para UTIs e em 40,8% para enfermarias.

Considerando o número total de casos em Mato Grosso, 51% dos diagnosticados são do sexo feminino e 49% masculino; além disso, 4.396 pacientes têm faixa-etária entre 31 a 40 anos. O documento ainda aponta que um total de 19.109 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 1.420 amostras em análise laboratorial.


FONTE: MÍDIA NEWS

0/Faça seu comentário