Polícia Civil identifica motorista de acidente que vitimou DJ de 19 anos

Reprodução
Após 3 meses de investigação, a Polícia Civil de Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá) identificou que o jovem Gustavo Ramos dirigia o veículo S10, durante o acidente que resultou na morte da DJ Marina Centena, de 19 anos. A caminhonete em que ela estava com outras 6 pessoas bateu em um caminhão que estava parado, em uma rua do Setor Comercial.

Durante coletiva de imprensa nesta manhã de quinta-feira (9), o delegado Carlos Eduardo Muniz, que estava frente das investigações, afirmou que após o acidente, o jovem chegou a se apresentar na delegacia, informando que conduzia o veículo.

Contudo, durante as investigações, os depoimentos de testemunhas e sobreviventes da colisão se contradiziam, e a Polícia Civil precisava de provas técnicas. Segundo o delegado, uma série de vídeos gravados por Marina naquela noite foi analisado.

Além disso, a publicação do vídeo nas redes sociais foi às 4h27, horário próximo do momento do acidente, que ocorreu por volta de 4h30. “Primeira prova técnica foram vídeos no celular da própria vítima, que por ter bastante convívio com a rede social, ela acabava filmando bastante seus passos. Nesse dia ela faz 3 ou 4 vídeos, e quem aparece conduzindo é a pessoa que se apresentou na delegacia”, disse.

A segunda prova analisada foi o airbag da caminhonete, que segundo Muniz, o policial civil e perito tiveram a perspicácia de recolher da cena do acidente. O airbag continha quatro manchas de sangue.

“Quando realizado exame de DNA nas manchas, ele identificou se eram de sangue humano. Segundo lugar, se era do sexo masculino e em terceiro, se eram do mesmo individuo, e era. Isso era preocupação da polícia, porque se tivesse mancha de um segundo ou terceiro indivíduo, posto que foi uma colisão muito forte, isso poderia gerar alguma dúvida sobre quem seria o autor dos fatos”, explicou.

A caminhonete envolvida na colisão era de propriedade da prefeita da cidade, Rosana Martinelli. O filho dela, Osmar Martinelli, 18, também estava no carro. Em um vídeo, a gestora aparece emocionada, dizendo que filho está envolvido com drogas e ela, como mãe, está oferecendo tratamento e vai lutar por sua recuperação.

O caso

Jovem de 19 anos, identificada como Marina Centena, morreu após a caminhonete em que ela estava com outras 6 pessoas bater em um caminhão que estava parado, em uma rua do Setor Comercial, em Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá), no dia 9 de abril.

Dentro da caminhonete, a polícia encontrou duas garrafas de whisky, sendo uma fechada e outra pela metade, uma garrafa de vodka pela metade e duas de energéticos.
Marina era conhecida na região como a DJ Bibi, ela se apresentava pelas casas nortunas e festas da cidade com setlists de funks.

FONTE: GAZETA DIGITAL

0/Faça seu comentário