Síndrome do coração partido: o que é, sintomas e tratamento

REPRODUÇÃO
A síndrome do coração partido, também conhecida de cardiomiopatia de Takotsuba, é um problema raro que provoca sintomas semelhantes aos de infarto, como dor no peito, falta de ar ou cansaço que podem surgir em períodos de estresse emocional intenso, como um processo de separação ou após o falecimento de um familiar, por exemplo.

Na maioria das vezes, esta síndrome surge em mulheres após os 50 anos de idade ou no período pós-menopausa, no entanto, pode aparecer em pessoas de qualquer idade, afetando também os homens. Pessoas que já tiveram ferimentos na cabeça e ou possuem algum transtorno psiquiátrico têm mais chances de ter a síndrome do coração partido.

A síndrome do coração partido, normalmente, é considerada uma doença psicológica, porém, exames realizados em pessoas que tiveram esta doença mostram que o ventrículo esquerdo, que é uma parte do coração, não bombeia o sangue corretamente, prejudicando o funcionamento deste órgão. Entretanto, essa síndrome tem cura pelo uso de medicamentos que ajudam a regular a atividade do coração.

Principais sintomas

A pessoa com síndrome do coração partido pode apresentar alguns sintomas, como:

  • Aperto no peito;
  • Dificuldade para respirar;
  • Tonturas e vômitos;
  • Perda de apetite ou dor no estômago;
  • Raiva, tristeza profunda ou depressão;
  • Dificuldade para dormir;
  • Cansaço excessivo;
  • Perda de autoestima, sentimentos negativos ou pensamento suicida.

Normalmente, estes sintomas surgem após uma situação de grande estresse e podem desaparecer sem tratamento. No entanto, caso a dor no peito seja muito forte ou a pessoa tenha muita dificuldade para respirar, é recomendado ir ao pronto-socorro para fazer exames, como eletrocardiograma e exames de sangue, para avaliar o funcionamento do coração.

Como é feito o tratamento

O tratamento para a síndrome do coração partido deve ser orientado por um clínico geral na emergência ou um cardiologista, dependendo da gravidade dos sintomas apresentados pela pessoa, e consiste, principalmente, no uso de medicamentos betabloqueadores, que servem para normalizar o funcionamento do coração, remédios diuréticos, para ajudar a eliminar água acumulada devido falha no bombeamento do coração.

Em alguns casos, pode ser necessário internamento hospitalar para fazer o tratamento com remédios na veia para o coração de forma a prevenir um infarto agudo do miocárdio. Após a recuperação, pode ser indicado o acompanhamento com psicólogo, para que seja feita terapia com objetivo da pessoa superar o trauma e o estresse emocional. Confira outras formas de superar o estresse.

Possíveis causas

As possíveis causas da síndrome do coração partido incluem:

  • Morte inesperada de um familiar ou amigo;
  • Ser diagnosticado com uma doença grave;
  • Ter problemas financeiros graves;
  • Estar passando por um processo de separação da pessoa amada, através de divórcio, por exemplo.

Estas situações provocam um aumento da produção de hormônios do estresse, como o cortisol, e podem gerar contração exagerada de alguns vasos cardíacos, causando danos ao coração. Além disso, mesmo sendo raro, existem alguns remédios, como duloxetina ou venlafaxina, que podem provocar a síndrome do coração partido.

FONTE: TUA SAÚDE

0/Faça seu comentário