Corpo é trocado e família faz cortejo com pessoa errada em MT

Montagem/Reprodução
A agente de saúde Silvana Nardes, de 43 anos, que morreu de Covid-19 na quarta-feira (26), teve o corpo trocado no Hospital Referência, antigo Pronto Socorro de Cuiabá.

A servidora pública, que é de Primavera do Leste, deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Cuiabá, mas não resistiu à doença.

O corpo foi translado para sua cidade de origem, onde amigos e familiares realizaram um cortejo na manhã de quinta-feira (27).

No entanto, um familiar recebeu uma ligação e foi informado de que aquela que estava no caixão prestes a ser sepultada não era Silvana.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que, após identificada a vítima, é colocada uma etiqueta no peito do paciente com o nome dele e também no invólucro impermeável.

Depois disso, o corpo é levado para o necrotério do hospital.

A funerária contratada pela família fica responsável de ir até a unidade de saúde e fazer a retirada do corpo da vítima.

A Secretaria disse que quem faz a identificação do paciente a ser levado é a empresa contratada pela família.

“No caso em questão, a funerária entrou no necrotério e levou uma pessoa que não correspondia ao seu serviço”, afirmou a Pasta.

Leia a nota na íntegra:

A Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá esclarece:

- Existe um protocolo dentro do Hospital Referência COVID-19 para a liberação dos pacientes que foram a óbito. Após a constatação do óbito e de todos os trâmites legais, o falecido é colocado dentro de um invólucro impermeável, com seu nome afixado na altura do peito dele. Depois é colocado em um segundo invólucro, que também tem o nome do paciente afixado e levado para o necrotério.

- A funerária contratada pela família vai até o hospital para fazer a retirada do paciente que foi a óbito. O serviço de óbito do Hospital Referência tem a responsabilidade de abrir o necrotério para que a funerária entre e leve o paciente correspondente à sua prestação de serviço. A responsabilidade de identificar o paciente que será levado é da funerária.

- No caso em questão, a funerária entrou no necrotério e levou uma pessoa que não correspondia ao seu serviço.

A Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá se solidariza com a família, que já passa pela dor do luto e que foi intensificada com este equívoco.

FONTE: BIANCA FUJIMORI

0/Faça seu comentário