Pandemia tem causado diagnósticos tardios de infarto, AVC e câncer


Em meio à essa pandemia que estamos vivenciando, o medo tomou conta das pessoas, que preferem ficar em casa para se proteger e evitar ser contaminadas. Em consequência disso, muitas delas não têm ido procurar atendimento médico, mas as doenças cardiovasculares continuam acontecendo e sem qualquer acompanhamento ou tratamento.

Sabemos que, tanto no Brasil, quanto no mundo, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte. Levantamentos recentes feitos pela Sociedade Brasileira de Cardiologia mostram que houve um aumento nas mortes por doenças relacionadas ao coração e, principalmente, de pacientes que ficam em casa. Isso acontece porque essas pessoas sentem medo de se contaminar e acabam não procurando atendimento médico.

Para evitar essa situação, o Instituto Médico de Diagnóstico por Imagem (IMEDI) adotou medidas de prevenção à COVID-19, como proteção de acrílico nos balcões de atendimento, fornecimento de álcool em gel em vários pontos da empresa, aferição da temperatura do paciente logo na entrada da clínica, equipamentos de proteção individuais para os colaboradores e processos de segurança mais rigorosos e eficazes. Tudo isso para reduzir o risco de contaminação no ambiente. Em caso de pacientes com suspeita de COVID, a equipe técnica usa um equipamento especial para autoproteção e para as demais pessoas que entrarão em contato com esse profissional.

Ainda que as doenças cardiovasculares sejam a principal causa de morte no país, pouco se fala sobre elas, sendo que a maioria são passíveis de prevenção com bons níveis de redução de incidência. Mas para isso, a pessoa tem que fazer o controle dos seus fatores de risco, ou seja, das condições que, quando presentes, aumentam a chance de se adquirir uma doença, como controlar a glicemia, o diabetes, hipertensão e evitar o uso de cigarros.

Também deve-se fazer um tratamento adequado e, principalmente, procurar o diagnóstico precoce, pois é extremamente importante que o paciente descubra a doença cardiológica em seu estágio inicial.

Dentro da cardiologia existe um rol de exames que ajudam no diagnóstico preventivamente. Entre eles estão a Angiotomografia Coronariana e a Ressonância do Coração, que podem ser realizados na clínica IMEDI.

A Angiotomografia Coronariana é um exame que permite a perfeita visualização de placas de gordura ou cálcio no interior das veias e artérias do corpo, diagnosticando problemas em todo o sistema circulatório, como aneurismas e obstruções dos vasos sanguíneos. Além disso, por meio da angiotomografia, também é possível fazer uma avaliação das válvulas e diagnosticar aneurismas coronarianos.

Já com a Ressonância Cardíaca é possível fazer avaliações/indicações que são um pouco diferentes das tomografias coronarianas. Porém, muitas vezes, o laudo da ressonância acaba sendo complementar ao que se identifica na angiotomografia.

A Angiotomografia e Ressonância Cardíaca são exames muito bem avaliados, com indicação clínica estabelecida em consenso, tanto da Sociedade Brasileira de Cardiologia, como das Sociedades Americanas e Europeias de Cardiologia.

*Dr. Roberto Cândia é médico cardiologista, Diretor da Sociedade Mato-grossense de Cardiologia e responsável pelos exames de tomografia e ressonância cardíaca da Clínica IMEDI.

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal ROSARIO NEWS.