Polícia apreende carga com 100 kg de pasta base em Nova Mutum avaliada em mais R$ 10 milhões

reprodução
A assessoria da Polícia Rodoviária Federal (PRF) comunicou, na noite desta terça-feira (11), a apreensão de mais 100 quilos de pasta base de cocaína, em Nova Mutum. Esta manhã, os agentes, após apreenderem 550 quilos de cloridrato de cocaína,  fizeram contato com a Polícia Civil, que deu apoio na localização do segundo carregamento de entorpecente, que estava sendo transportado em um caminhão, abordado na região de Nobres, mas que havia saído de Nova Mutum. Por este motivo, a PRF solicitou apoio da Polícia Civil para verificar o local onde o veículo havia sido carregado.

Uma equipe do Grupo Armado de Resposta Rápida (GARRA) foi até a região de zona rural indicada e, após buscas, encontrou uma área com terra remexida. Ao cavarem no local, os policiais encontraram 3 galões com líquido aparentando querosene e três sacos contendo um total de 100 tabletes de substância análoga à pasta base de cocaína que totalizaram aproximadamente 102,3 kg.

A assessoria da PRF comunicou que a droga é avaliada em cerca de R$ 10 milhões. Desta forma, o órgão estima que, somando-se aos 557 kg de cloridrato de cocaína apreendidos nesta manhã, o prejuízo ao narcotráfico passou de R$ 80 milhões.

Conforme Só Notícias já informou, o cloridrato de cocaína estava sendo transportado em um caminhão prancha, com placas de Americana (SP), que era conduzido por um homem de 34 anos. Os policiais realizaram uma fiscalização no veículo e encontraram um compartimento na longarina preparado para o transporte do entorpecente. De lá, foram retirados 510, tabletes de cloridrato, que é uma substância derivada da cocaína.

O condutor disse ter pegado a droga na região de Nova Mutum e que receberia uma ligação informando em qual cidade do estado de Minas Gerais a carga ilícita deveria ser deixada. A droga apreendida pela PRF ganhou destaque nacional após o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) divulgar a ação policial em suas redes sociais. “O trabalho não para”, resumiu.



FONTE: Só Notícias/Herbert de Souza

0/Faça seu comentário