Saúde: Confira as dicas essenciais para enfrentar o tempo seco

A baixa umidade do ar leva o nosso corpo a um aumento do risco de desidratação e de infecções.


REPRODUÇÃO
A população mato-grossense, em especial os moradores da capital, está sofrendo com o calor, tempo seco, umidade baixa e fumaça – típicos desta época do ano. Apesar de já estarmos acostumados com esta situação, os efeitos dos fatores climáticos é sempre um incômodo, já que a qualidade do ar fica prejudicada, provocando sintomas como tosse, ardência nos olhos, boca seca e dificuldades de respirar.

A situação é ainda mais preocupante diante da pandemia do novo coronavírus, pela qual estamos passando.

De acordo com médico do trabalho do Serviço Social da Indústria (Sesi MT), Ediney Espínola da Costa, a baixa umidade do ar leva o nosso corpo a um aumento do risco de desidratação e de infecções. “Essa desidratação ocasiona dor de cabeça, rinites alérgicas, sangramento nasal, garganta seca e irritada, sensação de areia nos olhos que ficam vermelhos e congestionados, ressecamento da pele, cansaço”.

A principal recomendação para os dias secos é tomar bastante água, o que pode ajudar a aliviar a irritação na garganta.

“É de suma importância hidratação no mínimo 3 litros de água por dia - 1 copo por hora. Usar umidificador ou bacia com água e ou toalhas molhadas. Usar colírios hidratantes, evitar ficar muito tempo em aparelhos celulares ou computadores, principalmente em ambientes condicionados”, frisa.

O médio aponta ainda que, se possível, as pessoas com muita irritação de vias aéreas (rinite, sangramento, irritação de garganta, etc.) ou que tenham comorbidades, como bronquite, asma, etc., devem realizar inalação com soro fisiológico. Além disso, também é importante usar soro fisiológico para lavar e umidificar as vias aéreas através de instilação nasal.

“Pessoas que usam lentes de contato devem usar com mais frequência colírios hidratante e/ou lágrima artificial. Outra dica é evitar exercício físico ou exposições ao ambiente nos períodos quando a umidade estiver muito baixa”.

Nutrição

A nutricionista do Sesi MT, Roberta Sanches, reforça que a nutrição adequada auxilia na prevenção e ameniza os sintomas e que consumir alimentos saudáveis como frutas, verduras e legumes é essencial, além de manter a hidratação.

“Beber muita água. Carregue uma garrafinha com você e em todo ambiente que freqüentar. Se o seu problema é o esquecimento, deixe lembretes no celular a cada meia hora, assim sempre será lembrado de beber água. Adote rotinas estratégicas, por exemplo, ingerir água sempre nos mesmos momentos: ao acordar, sair de casa, chegar ao trabalho, antes do almoço, após o almoço, antes do jantar e antes de dormir”.

A especialista indica ainda o consumo de chás – que são ótimos substitutos da água. “A infusão com ervas sem adoçar, além de trazer os benefícios dos princípios ativos da planta também hidrata e não traz calorias. E ainda podem ser consumidos frios, e também com frutas: os chamados suchás (suco + chá).

“Aposte em preparações mais úmidas que levem bastante água, assim como sucos de frutas naturais sem adição de açúcar, gelatinas, frutas, legumes e verduras, sopas ralas frias e quentes. Esses alimentos não substituem a água, apenas dão um suporte na sensação do calor ou da falta de umidade no ar”, informa.

Confira as dicas para refrescar

Suchá de erva-doce com limão

Ingredientes

  • 200 ml de chá de erva doce
  • 1 pedaço pequeno de gengibre
  • 100 ml água de coco
  • Suco de um limão
  • Folhas de hortelã

Modo de preparo

Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva!

Que tal um picolé de frutas para o calor?

Picolé refrescante de Melancia com Gengibre

Ingredientes

  • 3 xícaras de suco de melancia bem madura (tire a semente antes de bater)
  • 6 folhas de hortelã
  • 1 colher de chá de gengibre

Modo de preparo

Bata tudo no liquidificador. Depois despeje nas forminhas de picolé e leve ao freezer.

Atenção!! Outros líquidos não substituem a água, como refrigerantes, sucos industrializados e concentrados, bebidas levemente gaseificadas, chás de lata e adoçados com açúcares.

DA REDAÇÃO