Dois são presos suspeitos de matarem a tiros avô e neta de 3 anos

reprodução
A Polícia Militar prendeu dois suspeitos de terem participado dos homicídios de Eduardo Ferreira dos Santos, de 45 anos, e a neta dele, de 3 anos, ocorrido no domingo (30), em Lucas do Rio Verde (320 km de Cuiabá).

Além deles, também foram baleados a esposa de Eduardo e o filho dele, de 26. A tentativa de chacina ocorreu na casa onde as vítimas moravam. O local foi invadido por quatro atiradores.

Segundo a Polícia, os suspeitos foram presos na segunda-feira (31). Eles foram identificados com a ajuda das câmeras de segurança. Com eles, o carro que estava na casa das vítimas, um Gol de cor vermelha, também foi apreendido.

Eles não confirmaram a participação no crime, mas afirmaram terem estado na casa das vítimas.

“Eles foram presos em flagrante. Temos um lastro probatório muito grande de autoria, imagens, testemunhas... Com certeza, vamos concluir o trabalho para que futuramente o Ministério Público denuncie por homicídio e tentativa”, comentou o delegado Marcelo Maidame.

O caso ainda segue em investigação para tentar identificar os outros dois atiradores.

Entenda

Uma testemunha contou à Polícia que, no dia anterior ao crime, o mesmo veículo estava estacionado na frente da residência de Eduardo e ele e um homem passaram a discutir.

O motivo da briga não foi informado, mas o suspeito deixou o local com os demais que o acompanhavam.

A esposa de Eduardo presenciou a discussão no sábado, mas não soube relatar devido o seu estado de choque.

De acordo com o boletim de ocorrência, o crime ocorreu por volta das 14h30. Quando os policiais chegaram ao local, Eduardo estava caído no chão com um tiro no abdômen, já sem vida.

A esposa dele, mesmo baleada, conseguiu relatar que quatro homens chegaram em um Gol vermelho ao local e atiraram contra a família.

Um dos tiros atingiu o filho de Eduardo na perna. A neta foi atingida com um disparo na cabeça.

A criança chegou a ser socorrida e encaminhada para o Hospital Regional de Sorriso, onde passou por cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada desta segunda-feira (31).

A esposa conseguiu contar aos policiais que antes dos disparos, Eduardo falou aos suspeitos: “Agora vocês vieram aqui para atazanar minha família”.

O filho também confirmou a versão de sua mãe e disse que ainda tentou revidar as agressões e inclusive conseguiu atirar em um deles. A arma que ele usou foi apreendida pela PM.

FONTE: MÍDIA NEWS

0/Faça seu comentário