"Países concorrentes usam de mentiras para prejudicar o Brasil"

Mayke Toscano/Secom
O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que nações concorrentes do Brasil no agronegócio tentam usar as queimadas para prejudicar a imagem do País junto aos compradores de commodities.

Mendes classificou que existe uma “guerra de imagem” encabeçada pelos principais países do agronegócio – como os Estados Unidos.

“Essa guerra de imagem internacional com nossos concorrentes faz com que pessoas mal intencionadas Mundo a fora utilizem de mentiras para tentar prejudicar o nosso País e o agronegócio brasileiro”, afirmou o governador.

“[...] E quando falamos em agronegócio brasileiro, falamos de Mato Grosso, que é o maior produtor de soja, milho, algodão e carne”, completou.

A declaração foi dada em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, nesta terça-feira (8).

Essa guerra internacional com nossos concorrentes fazem com que pessoas mal intencionadas mundo a fora utilizem de mentiras para tentar prejudicar o nosso país e agronegócio brasileiro

No ano passado, alguns países da Europa ameaçam não assinar o acordo de livre comércio com o Mercosul devido às queimadas na região Amazônica. Para Mendes, produtor e Estado não têm interesse nas queimadas.

“Ninguém tem interesse em queimadas. O produtor – quando queima uma palhada que fica na lavoura - tem prejuízo gigante. Nenhum produtor tem interesse em queimar nada, muito menos a pastagem. Agora, é muito lamentável que algumas pessoas façam isso de maneira criminosa”.

“O governo está apurando, identificando se é acidental ou proposital, e está aplicando o que determina a legislação brasileira. Nós não somos coniventes a nenhum tipo de incentivo e a nenhuma queimada. Elas podem ser feitas nos períodos corretos, mas não nesse período de seca e estiagem. Isso é combativo sistematicamente pelo Governo”, afirmou Mendes.

No agronegócio, é comum o uso de fogo para atividade de limpeza de pastagem. Ocorre que, devido à estiagem, até o dia 30 de setembro a prática está proibida no Estado.

Segundo Mendes, já foram aplicadas em mais de R$ 100 milhões em multas à pessoas que realizaram incêndio criminoso no Estado.

“O Estado tem sido implacável, nós aplicamos a multa que varia de R$ 1 mil a R$ 7 mil por hectare”, explicou.

FONTE: MÍDIA NEWS

0/Faça seu comentário