Há 16 anos eleição para prefeito de Cuiabá vai para 2º turno

Chico Ferreira

No último domingo (15), 378.097 cuiabanos foram às urnas para escolher o prefeito da Capital, segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). No entanto, eles precisarão voltar aos colégios eleitorais no dia 29 de novembro, para o segundo turno da eleição. Há 16 anos a eleição em Cuiabá só é decidida no segundo turno. Para ter a possibilidade do segundo turno, é preciso ter mais de 200 mil eleitores e que nenhum candidato tenha mais de 50% dos votos válidos. 

Este ano não foi diferente. A disputa pelo Palácio Alencastro ficou entre Abílio Júnior (Pode) e Emanuel Pinheiro (MDB), que tenta a reeleição. Abílio Júnior conquistou 33,72% dos eleitores, totalizando mais de 90,6 mil votos, e segue em primeiro lugar. Já o prefeito Emanuel Pinheiro ocupou o segundo lugar, com 30,64% e 82,3 mil votos.

No entanto, 2020 é um ano atípico. Por conta da pandemia do novo coronavírus e a eleição precisou seguir medidas de biossegurança, além de mudar a data original do primeiro turno, que iria ocorrer no dia 4 de outubro e acabou sendo adiada para 15 de novembro.

Quem abriu a tradição da votação no segundo turno na Capital mato-grossense foi Wilson Santos (PSDB), quando venceu o adversário Alexandre César, na época filiado ao PT, em 2004. No primeiro turno, o tucano conquistou 99.920 votos (36,19%) dos votos, enquanto Alexandre teve 92.647 (33,55%). O segundo turno foi decidido em 146.280 votos (52,85%) para Wilson e 126.954 (47,15%) de Alexandre.

Em seguida, na eleição de 2008, Wilson Santos disputou sua reeleição com o então novato Mauro Mendes - que na época era filiado ao PR. Ele recebeu 141.327 (47,92%) votos no primeiro turno, contra 78.415 (26,59%) de Mauro. No segundo pleito, Wilson conseguiu se reeleger com 175.038 dos votos (60,47%) e Mauro, que disputava sua primeira eleição, 114.432 votos (39,53%).

Já em 2012, após se desfiliar do PR e entrar no PSB, Mauro disputou o primeiro turno contra Lúdio Cabral (PT). Na ocasião, conseguiu 137.125 votos (43,96%), e o petista, 131.877 (42,27%). No segundo turno, Mauro venceu com 169.688 votos (54,65%), enquanto Lúdio recebeu 140.798 (45,35%).

Em 2016 foi a vez de Emanuel enfrentar Wilson Santos, que se candidatou novamente. O emedebista obteve 98.051 votos (34,15%), contra 81.531 de votos do tucano (28,40%). Ele venceu no segundo turno com 157.877 votos (60,41%), enquanto Wilson teve 103.483 (39,59%).

A contagem de votos das eleições 2020 ocorre de maneira totalmente virtual. Dessa vez candidatos e eleitores não irão se reunir para acompanhar o resultado do pleito no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

FONTE: GAZETA DIGITAL