Mato Grosso é o sétimo Estado com mais mortes causadas por raios

REPRODUÇÃO

Um levantamento do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostrou que Mato Grosso ocupa a 7º colocação em ranking de estados com mais mortes ocasionadas por raios. De 2000 a 2019, 126 pessoas morreram atingidas por raios.

Segundo dados da Energisa Mato Grosso, nos 141 municípios do Estado, a distribuidora registrou aproximadamente 6,7 milhões de raios em 2019. Um aumento de 141% no número de casos comparado com 2018 que teve cerca de 2,7 milhões. A tendência é de o número ser maior em 2020.

Em 2020, houve o registro de pelo menos quatro pessoas que foram atingidas por descargas elétricas em Mato Grosso. Dois deles acabaram morrendo. Nesta semana, um trabalhador da Energisa morreu enquanto fazia a manutenção de um poste de energia. Fernando Marques dos Santos, de 33 anos estava em cima de um poste de energia fazendo os trabalhos de reparo, quando foi atingido por um raio, em Nova Ubiratã (502 km de Cuiabá).

A outra vítima fatal foi o trabalhador Carlos André Karling, de 27 anos. Ele foi atingido por um raio na terça-feira, 10 de novembro, enquanto estava usando o celular, na Fazenda São Carlos 2, em Nova Ubiratã (502 km de Cuiabá).

Ainda em novembro, um motorista teve o carro atingido por um raio, no município de Sorriso (420 km de Cuiabá). O raio estourou o para-brisa do Fiat Uno, e os estilhaços acabaram cortando a perna do proprietário. Em uma entrevista para uma equipe de reportagem local, João Sousa afirmou que nasceu de novo.

Em janeiro deste ano, um garoto de 14 anos foi atingido na cabeça por um raio, enquanto pedalava na MT-222, em Sinop (500 km de Cuiabá). Na época, ele foi socorrido em estado crítico pelo Corpo de Bombeiros da cidade e ficou 11 dias internado e não ficou com nenhuma sequela.

Também foram registradas a mortes de animais em fazendas, em decorrências dos raios que atingiram Mato Grosso em 2020. Um raio matou 44 novilhas em uma fazenda de Poconé, em março deste ano. Os animais estavam aglomerados embaixo de uma figueira quando foram atingidos.  Em janeiro, oito cabeças de gado morreram após um raio atingir um pasto no Assentamento Wesley Manoel dos Santos, a 80 quilômetros de Sinop.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, para evitar serem atingidas por um raio,  o ideal é se abrigar em sua residência ou em alguma outra construção, como lojas, restaurantes, bares e sair somente se necessário. Manter-se afastado e não trabalhar com cercas, alambrados, linhas telefônicas ou energizadas.

Também não é recomendado operar equipamentos eletrônicos e energizados, em geral. Não se abrigar de baixo ou próximo de árvores, postes de energia, ou qualquer estrutura metálica ou alta. Não permanecer dentro da água ou molhado, durante as tempestades. 

E no caso de emergência, deve-se acionar o Corpo de Bombeiros pelo número 193.

FONTE: REPÓRTER MT