Mulher erra endereço, recusa alterar destino e espanca motorista de aplicativo

RepórterMT/Reprodução

Uma mulher de 45 anos, nome não revelado, foi presa após atacar um motorista de transporte por aplicativo (APP) durante uma corrida na noite desse sábado (12), em Cuiabá.

O desentendimento entre o profissional e a cliente teria começado após a acusada descobrir que errou ao inserir o destino da viagem e o condutor, 28 anos, se negar a continuar o transporte até que a passageira alterasse o destino no aplicativo.

O motorista acionou a Polícia Militar (PM) na Rua Edgar Vieira, bairro Boa Esperança, onde estacionou o carro para que a cliente resolvesse o problema no aplicativo, mas foi agredido pela mulher, que desceu do carro e foi embora.

De acordo com o trabalhador, a passageira solicitou a corrida pelo app, saindo do bairro Popular com destino ao Araés. Porém, durante o trajeto, a mulher avisou que, na verdade, iria para o bairro Osmar Cabral. O motorista então teria pedido para a cliente alterar o destino no aplicativo e colocar o endereço certo. A acusada teria ficado nervosa, se negado a fazer a alteração e afirmado que a vítima que deveria fazer.

O profissional explicou à passageira que no aplicativo dela tinha a opção de alterar e caso ela não o fizesse ele não poderia continuar a viagem e ela teria que descer do carro.

Nervosa, a passageira começou a xingar o motorista e reafirmado que não faria a alteração do endereço de destino. Nesse momento a vítima estacionou o carro, pediu que a passageira descesse e disse que não ia cobrar pelo trajeto feito até ali, mas ainda assim a mulher foi para cima do profissional, o agrediu e em seguida deixou o local.

Os militares saíram em rondas pela região e conseguiram localizar a acusada na Avenida Fernando Corrêa da Costa, ainda próximo de onde o carro da vítima estava estacionado.

Os envolvidos foram encaminhados à Delegacia Central de Flagrantes para maiores esclarecimentos sobre o fato. O motorista chegou à unidade policial com marcas de arranhões, supostamente, causadas pelas agressões da mulher, que pode responder por crime de lesão corporal.

FONTE: REPÓRTER MT