Resíduos recolhidos na BR-163 equivalem 32 caminhões carregados

Reprodução/Rota do Oeste

Cerca de 450 toneladas de resíduos foram retiradas da BR-163/364, de janeiro a novembro de 2020. Em média, 1,3 tonelada é recolhida por dia pelas equipes operacionais da Concessionária Rota do Oeste e 100% do material conta com destinação ambientalmente correta, ou seja, é encaminhado para reciclagem, coprocessamento ou para aterros sanitários licenciados.

O montante equivale a 32 caminhões de eixo duplo (Truck), que juntos, têm capacidade para transportar 7.456 sacas de soja.

O trabalho desenvolvido contribui para a trafegabilidade e segurança na BR-163, além de representar um ganho ambiental. O gerente de Sustentabilidade da Rota do Oeste, Wilmar Manzi, explica que determinar cada tipo de material para um destino que não agrida o meio ambiente é essencial.

“Não existe o ‘fora’, no planeta. Jogar o resíduo fora não faz com que ele deixe de existir. Por isso é importante o descarte correto e preferencialmente que ele seja reciclado”.

Borrachas de pneus danificados e os resíduos contaminados representam a maior parte do material recolhido, 249 toneladas. O número é o equivalente a 17 caminhões Truks, totalmente carregados. A destinação correta destes resíduos é o coprocessamento, técnica que consiste na trituração, queima e incorporação do material.

“Enviamos para a empresa responsável e o que seria descartado no meio ambiente passa a ser utilizado na produção de combustível e/ou clínquer (principal componente do cimento)”, ressalta Manzi.

O levantamento feito pela Rota do Oeste demonstra ainda que 31 toneladas do material recolhido, foi destinado para reciclagem. O dado representa quase duas sacas de soja por dia enviadas para entidades parceiras, localizadas em Rondonópolis, Várzea Grande, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sorriso, que avaliam e fazem a destinação correta.

O gerente de Sustentabilidade ressalta ainda que todas as empresas parceiras possuem Licença de Operação. O que significa que existe a garantia de que o processo segue os moldes exigidos pela legislação vigente. Segundo ele, além de garantir a segurança do usuário, a Rota do Oeste tem compromisso com a manutenção e melhoria do meio ambiente.

No período analisado, as equipes estiveram empenhadas na retirada de 168 toneladas de resíduos não-recicláveis da BR-163. Entram nesta categoria, os alimentos, embalagens de comida etc., ou seja, aqueles que não podem ser reciclados, nem coprocessados. O encaminhamento deles é feito para os aterros sanitários licenciados.

FONTE: MÍDIA NEWS

0/Faça seu comentário