Gabigol explica ida a cassino: “Era meu último dia de férias”

Wagner Meier/Getty Images

Gabriel Barbosa foi levado à delegacia na noite desse sábado (13/3) após ser flagrado aglomerando em um cassino clandestino, na Vila Olímpia, Zona Sul de São Paulo. Liberado depois de assinar um Termo Circunstanciado, o atacante do Flamengo deu entrevista ao repórter Eric Faria para o Fantástico.

“Não tenho costume de ir a cassino, a única coisa que eu jogo é videogame. Estava com meus amigos, fomos comer. Quando estava indo embora, a polícia chegou mandando todo mundo ir para o chão. Faltou sensibilidade da minha parte. Era meu último dia de férias, e estava feliz de estar com meus amigos. Faltou sensibilidade. Mas usei máscara, álcool gel… Quando percebi que tinha um pouquinho mais de gente, estava indo embora”, explicou Gabigol.

O evento no cassino era, na verdade, uma festa, com cerca de 300, e o local foi fechado pela Polícia Civil. Além do termo assinado pelo jogador, ele também se comprometeu a participar de atos judiciais quando requisitado e a não aglomerar mais.

Segundo o Globoesporte.com, os policias contaram que Gabriel foi encontrado escondido debaixo de uma mesa, mas de acordo com o jogador os agentes orientaram que todos ficassem no chão.

O camisa 9 do Flamengo não será indiciado, mas o caso vai para o Ministério Público, que irá decidir se abre um processo ou não. Ele pode ser julgado pelo artigo 268 do código penal — infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa — o qual prevê detenção de um mês a um ano, além de multa.

METRÓPOLES

0/Faça seu comentário