Saúde Saúde

CoronaVac: 'Não há confirmação sobre envio de insumos', diz Saúde

O Instituto Butantan já informou que não tem mais insumos disponíveis para continuar a produção da vacina contra a covid-19

07/05/2021 17h45
Por: Redação Fonte: R7
 Cristiane Mota/Fotoarena/Estadão Conteúdo - (Foto: Cristiane Mota/Fotoarena/Estadão Conteúdo)
Cristiane Mota/Fotoarena/Estadão Conteúdo - (Foto: Cristiane Mota/Fotoarena/Estadão Conteúdo)

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, afirmou durante coletiva realizada nesta sexta-feira (7), que ainda não há confirmação sobre o envio do IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) para a produção da CoronaVac, vacina contra a covid-19 produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, em São Paulo.

O instituto comunicou que já envasou todo o insumo que tinha disponível e espera pela chegada de um novo lote de matéria-prima, previsto para o dia 18 deste mês.

Segundo o secretário-executivo, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se reuniu hoje com o embaixador da China no Brasil para tratar do envio e destacou que não é uma iniciativa isolada do governo federal em relação ao país asiático.

“O ministro esteve hoje com o embaixador chineês, não tive a oportunidade de participar da reunião, mas é importante destacar que não é uma iniciativa isolada, estamos sempre conversando, seja com a embaixada brasileira em Pequim, seja com o embaixador chinês aqui no Brasil, sempre com o objetivo de garantir que o IFA chegue ao país. Não temos confirmação ainda de embarque do IFA, estamos tratando disso”, afirmou.

Contrato de 100 milhões de doses da Pfizer

Na última segunda-feira (3), Queiroga afirmou que o país está perto de comprar mais 100 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a covid-19. No entanto, segundo Cruz, o contrato ainda não foi fechado.

“O contrato ainda não está assinado, está em fase final de formalização. Uma das etapas era a publicação da dispensa de licitação, que já foi feita na quinta-feira. A gente precisa de crédito específico para isso, então está correndo uma medida provisória de crédito para celebrar a vacina”, disse o secretário.

Ele também pontuou que o ministério já sinalizou positivamente sobre os termos contratuais que foram estabelecidos pela empresa e que aguarda a validação com a Pfizer mundial.

“A expectativa é de que a gente consiga vencer isso no final de semana, para que na próxima semana possamos formalizar a assinatura desse contrato para aquisição de mais de 100 milhões de doses”, afirmou Cruz.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias