35°

Pancada de chuva

Rosário Oeste - MT

Saúde SAÚDE

Entenda as mudanças na recomendação da aspirina nos Estados Unidos

Embora muitas de nossas conversas sobre saúde estejam focadas com toda razão na Covid-19, há outros acontecimentos na área de saúde que merecem ser discutidos com um médico

18/10/2021 às 07h27
Por: Redação Fonte: CNN BRASIL
Compartilhe:
Foto: Jeanette Martin/Gettyimages
Foto: Jeanette Martin/Gettyimages

Então agora a gente deve parar de tomar aspirina?

Embora muitas de nossas conversas sobre saúde estejam focadas com toda razão na Covid-19, há outros acontecimentos na área de saúde que merecem ser discutidos com um médico.

A Força-Tarefa de Serviços Preventivos dos EUA anunciou um esboço de novas recomendações sobre o uso de aspirina em 12 de outubro. O painel voluntário de especialistas em prevenção de doenças está aconselhando adultos com 60 anos ou mais a não começarem a tomar aspirina para proteger seus corações, a menos que tenham histórico de AVC ou ataque cardíaco.

A força-tarefa também recomenda que adultos com idades entre 40 e 59 anos que apresentam maior risco de doenças cardiovasculares, mas não têm histórico da doença, deveriam conversar com seu médico sobre se devem tomar aspirina para a saúde do coração. O documento ainda é um esboço — a recomendação oficial pode ser em novembro.

O que está por trás das mudanças? Como isso o afeta se você já está tomando aspirina? Quem deveria começar a tomar aspirina?

Conversamos a respeito com a analista médica da CNN Internacional, a doutora Leana Wen. Ela é médica de emergências e professora visitante de política e gestão de saúde na Escola de Saúde Pública do Milken Institute of Public Health da Universidade George Washington.

A doutora Wen também é autora de um novo livro, “Lifelines: A Doctor’s Journey in the Fight for Public Health” (sem edição no Brasil).

CNN: Muitas pessoas tomam aspirina, pensando que é algo inofensivo. Mas parece que o remédio também pode trazer alguns riscos.

Dr. Leana Wen: É exatamente isso. Precisamos ter em mente que praticamente todos os medicamentos apresentam riscos. No caso da aspirina, um possível efeito colateral é o risco aumentado de hemorragia. Esta é a grande razão pela qual a força-tarefa nacional está recomendando uma mudança na orientação, em particular para pessoas mais velhas. Idosos têm maior propensão a quedas, e tomar aspirina pode aumentar o risco de hemorragia no cérebro se a pessoa cair e bater a cabeça. Há também maior possibilidade de sangramento gastrointestinal para pessoas que tomam aspirina.

CNN: Ainda há benefícios em tomar uma aspirina diariamente?

Wen: Com toda certeza. Estudos têm mostrado consistentemente que o uso regular de aspirina diminui o risco de ataques cardíacos e AVCs.

A questão para a aspirina e todos os medicamentos é se os benefícios superam os riscos. Não existe uma resposta única que sirva para todos.

Existem claramente alguns indivíduos que apresentam alto risco de ataque cardíaco e derrame. Para essas pessoas, especificamente aquelas que já tiveram um ataque cardíaco ou AVC, o uso de aspirina continua a ser recomendado. Existem outros que podem estar em maior risco, como por exemplo pessoas com hipertensão, diabetes e outros fatores que predispõem a doenças cardiovasculares. Em uma base caso a caso, a aspirina ainda pode ser recomendada, dependendo da idade e outras circunstâncias. Por outro lado, existem algumas pessoas na extremidade oposta do espectro, que podem ter distúrbios hemorrágicos e provavelmente não deveriam estar tomando aspirina de forma cotidiana.

Acho que o que a força-tarefa está tentando dizer é que as pessoas não devem presumir que precisam tomar aspirina. É preciso haver uma avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios.

CNN: E quem já está tomando aspirina rotineiramente deve parar?

Wen: Não. Primeiro, porque essas ainda são propostas, esboços de recomendações. O documento da força-tarefa está passando agora pela fase de comentários, e as recomendações finais são esperadas para novembro. No momento, as recomendações não mudaram oficialmente.

Em segundo lugar, os autores do esboço das diretrizes dizem especificamente que as pessoas não devem parar de tomar aspirina se já a estiverem tomando. Pode haver riscos associados à interrupção repentina de qualquer medicamento, incluindo aspirina.

CNN: É bom conversar com o médico sobre se tomar aspirina ou não?

Wen: Sim, claro. É sempre recomendável conversar com seu médico sobre os medicamentos que você está tomando.

Mais importante ainda, certifique-se de que seu médico esteja ciente de que você está tomando aspirina. Descobri que, como a aspirina é um medicamento comprado sem receita, os pacientes muitas vezes não mencionam que a tomam, a menos que o médico pergunte especificamente. Tenha certeza de que seu médico saiba que você está tomando aspirina e qualquer outro medicamento sem receita, ou ainda um suplemento dietético ou à base de ervas.

Mesmo que tenha sido uma recomendação médica, vale a pena conversar de novo sobre o tema. É bom entender por que você está tomando. Discutir os riscos e benefícios de cada medicamento é sempre uma boa ideia, assim como fazer uma reavaliação contínua. Só porque algo foi recomendado a você antes, não significa que sempre vai dar certo, especialmente porque as circunstâncias médicas e diretrizes clínicas mudam.

CNN: E quem toma aspirina de vez em quando, por exemplo, quando está com dor de cabeça?

Wen: Existem muitas pessoas que tomam aspirina ou produtos que contenham aspirina para dores de cabeça e outras doenças ocasionais. Novamente, é importante informar ao seu médico que você usa ocasionalmente. Pode haver remédios melhores para o seu caso, e a aspirina pode interferir com outros medicamentos, se você estiver tomando outros anticoagulantes, por exemplo, ou se tiver, digamos, uma úlcera estomacal, pode não ser aconselhável tomar aspirina.

Em geral, porém, o esboço das recomendações não é dirigido a quem toma aspirina de vez em quando, e sim a pessoas que estão tomando aspirina todos os dias, que pensam que isso evita ataques cardíacos e AVCs. Novamente, algumas pessoas ainda podem precisar fazer isso, mas outras não.

CNN: E se você ainda não começou a tomar aspirina? Você deve esperar antes de pegar na farmácia?

Wen: Converse com seu médico antes de começar a tomar aspirina. Descobri que muitas pessoas começam a tomar aspirina porque acham que é o que se deve fazer quando chegam numa certa idade. Esse não é o caso, e acho que essa é a lição mais importante da mudança de diretriz. A aspirina é um medicamento como outros. Os riscos e benefícios devem ser cuidadosamente considerados e avaliados junto com seu médico.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias