24°

Poucas nuvens

Rosário Oeste - MT

Política REDUÇÃO DOS CASOS

Mauro admite flexibilizar uso de máscaras de proteção em MT

Apesar de admitir que pode flexibilizar as medidas de prevenção, Mendes afirmou que o uso de máscara ainda é um “desconforto necessário”.

12/11/2021 às 08h27
Por: Redação Fonte: G1 MT
Compartilhe:
Reprodução
Reprodução

Com o avanço da vacinação e, consequentemente, a queda no número de mortes causadas pela Covid-19 em Mato Grosso, o governador Mauro Mendes (DEM), afirmou nessa quarta-feira (11), que está avaliando a possibilidade do uso de máscaras ser obrigatório apenas em ambientes fechados ainda neste ano.

De acordo com dados levantados pelo consórcio de veículos da imprensa, Mato Grosso tem 50% da população com esquema vacinal completo. Pessoas vacinadas com a primeira dose representam 69%.

Apesar de admitir que pode flexibilizar as medidas de prevenção, Mendes afirmou que o uso de máscara ainda é um “desconforto necessário”.

A professora de infectologia da UFMT, que atua no Hospital Universitário Júlio Muller, Márcia Hueb, avaliou que a retirada precoce das máscaras pode acarretar em uma nova elevação de casos.

Conforme Hueb, a taxa de transmissão da Covid-19 ainda está elevada e novas variantes resistentes às vacinas aplicadas no momento podem surgir com a flexibilização do uso de máscaras.

“As máscaras são necessárias porque ainda está mantido o ciclo de transmissão do vírus da covid-19. Chegando a número hipoteticamente ideal de 70 a 80% de vacinados com esquema completo, poderemos gradativamente ‘relaxar’ em parte das medidas de prevenção à transmissão”, avalia a infectologista.

Ela explica que a tendência é de que uma onda de elevação nos casos e mortes não seja registrada novamente por conta da vacinação. Hueb ressalta que mesmo com a queda, toda morte precisa ser evitada, por isso o uso de máscaras deve continuar sendo obrigatório.

“Nos países e cidades em que hoje se observa a elevação, as mortes estão razoavelmente controladas, os que morrem hoje da doença são os não vacinados, por falta de acesso ou opção própria”, diz.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias