24°

Poucas nuvens

Rosário Oeste - MT

Política R$ 560 MILHÕES

Mendes quer quitar dívida do VLT para concretizar BRT em Cuiabá

Governador propôs à Caixa pagamento integral de dívida para colocar na praça a licitação do BRT

26/11/2021 às 08h49
Por: Redação Fonte: MÍDIA NEWS
Compartilhe:
Secom/MT
Secom/MT

O governador Mauro Mendes (DEM) anunciou, nesta quinta-feira (25), que negocia com a Caixa Econômica Federal o pagamento integral do financiamento do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), no total de R$ 560 milhões. O valor é o que falta ser quitado do empréstimo original, feito na Gestão Silval Barbosa.

Conforme Mendes, com o pagamento, o Governo ficará livre para lançar o edital de licitação do BRT (ônibus de trânsito rápido) em Cuiabá e Várzea Grande.

O governador declarou que a licitação já está pronta, mas não foi publicada, porque a Caixa Econômica Federal ainda não autorizou a transferência dos recursos do VLT para o BRT.

“Vamos pagar 100% desse financiamento e encerrar essa relação que existe com a Caixa Econômica. Assim, prosseguir com nossas decisões sem depender de uma anuência deles, de uma concordância, para migrar de um modal para outro”, afirmou.

Mendes ainda afirmou que o Governo do Estado tem condições de realizar a obra do BRT sozinho.

Ressarcimento de R$ 1,2 bi

Questionado, o governador ainda afirmou que a sociedade não terá prejuízo financeiro com a troca do modal, já que todo o dinheiro pago pelo Estado pelo VLT já é alvo de ação judicial para ressarcimento dos recursos aos cofres públicos.

“O governo entrou com ação na Justiça, está rolando, pedindo de volta para os cofres públicos R$ 1,2 bilhão do Consórcio, porque o contrato foi rescindido por culpa deles, por prática de corrupção", disse. 

“O código civil brasileiro é muito claro, se alguém dá causa à rescisão de um contrato, tem o dever de indenizar a outra parte”, acrescentou. 

Quanto aos vagões do VLT, Mendes ressaltou que na ação o Governo pede que sejam levados embora. 

"Inclusive, quem está cuidando dos vagões são eles, não é o Governo. Quem está pagando aluguel lá, quem está com a guarda dos vagões são eles", pontuou. 

A quitação será feita assim que a Caixa Econômica apresentar o instrumento jurídico para sua concretização.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias